This content is not available in your region

Primeiro-ministro turco acusa cidadão sírio pelo sangrento atentado de Ancara

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com haber turk, today's zaman, daily sabah
Primeiro-ministro turco acusa cidadão sírio pelo sangrento atentado de Ancara

<p><p>O primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu revelou esta quinta-feira de manhã estar já identificado o principal responsável pelo atentado em Ancara, quarta-feira, em que morreram 28 pessoas — 27, eram militares. O homem, um bombista suicida, foi identificado como Salih Neccar, um cidadão sírio, nascido em 1992 </p> <p>Numa comunicação realizada a partir do quartel-general próximo da zona do atentado, o chefe de Governo colocou a responsabilidade direta do ataque nas milícias <span class="caps">YPG</span>, ou Unidades de Defesa Popular, o braço armado do <span class="caps">PYD</span> (Partido de União Democrática) com ligação ao Conselho Supremo Curdo, ambos do Curdistão sírio. </p></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="tr" dir="ltr"><span class="caps">SON</span> DAKİKA! <span class="caps">ANKARA</span>'DA TERÖR <span class="caps">SALDIRISI</span> // DAVUTOĞLU: <span class="caps">SALDIRIDA</span> DOĞRUDAN <span class="caps">YPG</span> İRTİBATI <span class="caps">ORTAYA</span> KONULMUŞTUR</p>— Habertürk Radyo (@HaberturkRadyo) <a href="https://twitter.com/HaberturkRadyo/status/700235893718831104">18 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(ÚLTIMA <span class="caps">HORA</span>: Ataques terroristas em Ancara // <br /> Davutoglu: há provas de que o <span class="caps">YPG</span> teve contato direto com o ataque.)</i></div></p> <p>De forma indireta, Davutoglu responsabilizou o regime sírio e a Rússia pelo apoio concedido a este grupo e, de uma forma geral, pediu para que as <span class="caps">YPG</span> sejam vistas como terroristas, algo que com que os Estados Unidos, por exemplo, não concordam.</p> <p>O líder do <span class="caps">PYD</span> (Partido de União Democrática, no Curdistão sírio), Salih Muslim, rejeita qualquer envolvimento no atentado de Ancara. </p></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="en" dir="ltr">Syrian <span class="caps">PYD</span> leader rejects responsibility for Ankara attack <a href="https://t.co/s94uyMrKnR">https://t.co/s94uyMrKnR</a> <a href="https://t.co/WyQXstaBRx">pic.twitter.com/WyQXstaBRx</a></p>— Today's Zaman (@todayszamancom) <a href="https://twitter.com/todayszamancom/status/700248177388208128">18 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Pelo menos 9 pessoas, revelou ainda o primeiro-ministro, terão sido detidas por suspeita de ligação ao atentado, do qual resultaram ainda mais de 60 feridos e que ainda </p> <p>Um jornal próximo do governo turco, o Yeni Safak, adiantou, sem confirmação oficial, que o suspeito, Salih Neccar, teria entrado na Turquia misturado num grupo de refugiados e que terá sido identificado pelas impressoões digitais registadas pelas autoridades quando entrou no país.</p> <p>O carro utilizado no ataque — acrescenta o mesmo jornal — teria sido alugado há duas semanas em Izmir, no leste do país, a cerca de seiscentos quilómetros de Ancara.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><a href="https://twitter.com/hashtag/UPDATE?src=hash">#UPDATE</a> Turkey PM blames Kurdish militants for Ankara attack <a href="https://t.co/ElgpVLKMHA">https://t.co/ElgpVLKMHA</a> <a href="https://t.co/EljDMUxzER">pic.twitter.com/EljDMUxzER</a></p>— <span class="caps">AFP</span> news agency (@AFP) <a href="https://twitter.com/AFP/status/700256768073560064">18 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Entre o ataque ao final da tarde de quarta-feira e a manhã desta quinta-feira, foram intensificados os bombardeamentos contra posições do grupo terrorista turco <span class="caps">PKK</span> (Partido dos Trabalhadores do Curdistão). O primeiro-ministro confirmou que cerca de 70 elementos do <span class="caps">PKK</span> terão sido “neutralizados.”</p> <h3>Coluna militar atacada à bomba em Diarbakyr</h3> <p>Já esta quinta-feira de manhã, entretanto, uma coluna de veículos militares turcos foi atingida por uma outra explosão em Diarbakyr, no sul do país. Pelo menos seis soldados morreram e um ficou ferido neste novo ataque (algumas fontes referem 7 mortos). </p> <p>Fontes das forças de segurança turcas revelaram que a explosão aconteceu na autoestrada que liga Diarbakyr ao distrito de Lice e que o explosivo terá sido detonado através de um controlo remoto por membros do <span class="caps">PKK</span>.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr"><span class="caps">UPDATE</span>: Turkish military says 6 soldiers killed in southeast Turkey bomb attack <a href="https://t.co/zLRQX4BVWP">https://t.co/zLRQX4BVWP</a> <a href="https://t.co/ojOe4ogMwI">pic.twitter.com/ojOe4ogMwI</a></p>— Today's Zaman (@todayszamancom) <a href="https://twitter.com/todayszamancom/status/700256661030699012">18 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Referência, por fim, ainda para a explosão registada quarta-feira em Fittja, a sul de Estocolmo, na Suécia, junto de uma associação cultural turca. O jornal sueco Aftonbladet (twit em baixo) reportou a chamada da polícia pelas 21h35 (menos uma hora em lisboa) e a mobilização de várias ambulâncias e carros dos bombeiros para o local, sem referir vítimas. Uma testemunha alega ter visto alguém a atirar algo para o edifício.</p> <p>O presidente da associação Botkyrka, Ismail Zengin, reveliou que as janelas estão estilhaçadas, pelo menos uma parede do edifício ficou destruída e a canalização afetada, provocando uma pequena inundação. “Não aceitável que se ataque uma organização sem fins lucrativos”, lamentou Ismail Zengin ao Aftonbladet.</p></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="sv" dir="ltr">Kraftig explosion i lokal utanför Stockholm – polis på plats. <a href="https://t.co/BYPs5UPY9U">https://t.co/BYPs5UPY9U</a> <a href="https://t.co/LGdoNK1ZLr">pic.twitter.com/LGdoNK1ZLr</a></p>— Aftonbladet (@Aftonbladet) <a href="https://twitter.com/Aftonbladet/status/700062697887506432">17 fevereiro 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <div align="center"><i>(Forte explosão em instalações fora de Estocolmo.)</i></div></p>