Última hora

Última hora

"Goat": o lado negro das irmandades masculinas

Em leitura:

"Goat": o lado negro das irmandades masculinas

Tamanho do texto Aa Aa

O músico e ator norte-americano Nick Jones foi recebido pelos fãs em Berlim, antes da estreia de “Goat”, uma longa-metragem sobre o lado negro das

O músico e ator norte-americano Nick Jones foi recebido pelos fãs em Berlim, antes da estreia de “Goat”, uma longa-metragem sobre o lado negro das irmandades masculinas.

Para preparar o papel e perceber os sentimentos que unem os membros deste tipo de associações, Nick Jones visitou universidades e falou com estudantes.

“Falei com muitas pessoas e vi o documentário Frat House que é fantástico, o que me ajudou a desenvolver uma perspetiva sobre o tema. Fiz também uma digressão pelas universidades e dei concertos para os estudantes, um mês antes do início da rodagem”, contou o ator.

A violência enquanto ritual de integração é um dos temas do filme realizado por Andrew Neel. “Goat” acaba de estrear na secção Panorama da Berlinale.

Outro destaque da Berlinale, “Road to Istanbul” mostra o drama de mães e pais quando os filhos se juntam aos movimentos extremistas islâmicos. O filme é da autoria do realizador argelino Rachid Bouchareb.

“Fiquei muito comovido com os pais na Europa, mães e pais, que de repente se aperceberam que os filmes partiram em viagem para a Síria ou para o Iraque. Interessei-me por essa dimensão humana do pai ou da mãe que vai descobrir algo sobre o filho que nunca imaginou e lidar com essa realidade”, contou o realizador.

“É interessante ter a oportunidade de conhecer esse lado sombrio e esses medos e aprender respeitar as mães que vivem essa realidade”, afirmou a atriz Astrid Whettnall.

Rodado na Bélgica e na Argélia, “Road to Istanbul” baisea-se em histórias verídicas e acaba de ser apresentado na Berlinale, na secção Panorama.