Última hora

Última hora

Aos 90 anos György Kurtág prepara versão operática de obra de Becket

Em leitura:

Aos 90 anos György Kurtág prepara versão operática de obra de Becket

Tamanho do texto Aa Aa

Numa mensagem vídeo, o maestro britânico Simon Rattle desejou feliz aniversário a György Kurtág. O compositor húngaro acaba de celebrar 90 anos. Em

Numa mensagem vídeo, o maestro britânico Simon Rattle desejou feliz aniversário a György Kurtág. O compositor húngaro acaba de celebrar 90 anos. Em Budapeste, Kurtág teve direito a uma gala de aniversário. O músico e compositor húngaro continua ativo. Trabalha atualmente numa versão operática da peça de Samuel Becket “Fin de partie”. Durante a gala, os convidados puderam assistir a um ensaio.

Point of view

Durante o ensaio, a cantora de ópera Hilary Summers procurou por em prática as ideias do maestro húngaro. Uma das instruções foi: tem de ladrar como um cão.

“Tenho aqui a folha e sento-me no piano, faço-o sempre, tenho de tocar no piano mesmo que não toque, dá-me segurança”, confessou Kurtág.

Durante o ensaio, a cantora de ópera Hilary Summers procurou por em prática as ideias do maestro húngaro. Uma das instruções foi: “Tem de ladrar como um cão”.

“Trata-se de uma escrita muito vocal. Por isso, pensava que não era difícil. E depois de ter aprendido a canção e trabalhado com o pianista, pensei que as coisas estavam bem. e apresentei o resultado ao maestro. Mas o trabalho dele é muito especial, específico, muito diferente do da maioria das pessoas. As notas na partitura não dizem sequer dez por cento do que ele pretende obter com resultado final. Quando pensamos que a nossa interpretação é boa, ele diz que é absurda e que não faz sentido e temos de fazer o que ele quer”, contou Hilary Summers.

O compositor húngaro já trabalha há vários anos sobre a versão operática da obra de Becket que retrata o drama humano diante da morte.

“Este drama absurdo é um círculo. O início corresponde ao fim. A primeira palavra é ‘fim’ e, no final, não há fim. Revemos a vida e a existência humana”, afirmou György Kurtág.

Os bilhetes para a gala de aniversário de Kurtág esgotaram rapidamente. O diretor artístico do Centro Barbican, em Londres, explica porquê.

“Entre os músicos e entre o público da música contemporânea ninguém tem melhor reputação do que Kurtág, entre os compositores em vida”, afirmou Nocholas Kenyon.

György Kurtág estudou no conservatório de Budapeste, no final da Segunda Guerra Mundial, num período em que o regime comunista tentava afastar o país das influências do mundo ocidental. Béla Bartók e Anton Webern foram as grandes influências do compositor húngaro que vive atualmente em Bordéus, na França.