Última hora

Última hora

Cameron contra o Brexit: "Podemos ter o melhor de dois mundos"

O primeiro-ministro quer convencer os britânicos a renunciarem ao "Brexit", no referendo agendado para 23 de junho.

Em leitura:

Cameron contra o Brexit: "Podemos ter o melhor de dois mundos"

Tamanho do texto Aa Aa

David Cameron foi defender, perante os deputados, o acordo alcançado em Bruxelas, a semana passada, e que confere ao Reino Unido um “estatuto especial” dentro da União Europeia.

Point of view

O nosso estatuto especial significa que o Reino Unido pode ter o melhor de dois mundos - David Cameron

O primeiro-ministro quer convencer os britânicos a renunciarem ao “Brexit”, no referendo agendado para 23 de junho.

“O nosso estatuto especial significa que o Reino Unido pode ter o melhor de dois mundos. Pertenceremos à parte da Europa que funciona, para nós, influenciaremos as decisões que nos afetam a partir do lugar do condutor do maior mercado único mundial, e teremos a capacidade de tomar ações que defendam a nossa população. Mas estaremos fora da parte da Europa que não funciona para nós, fora do euro, fora dos regastes da zona euro, fora da zona Schengen, e protegidos legal e permanentemente contra uma união mais aprofundada”, explicou Cameron, que avisou ainda que não haverá segundo referendo nem segunda negociação, e que a 23 de junho a decisão tomada será irreversível.

Cameron tem agora 4 meses para convencer os britânicos a permanecerem na União Europeia, a começar pelo seu próprio campo, onde há cada vez mais dissidências.

Incluindo o “mayor” de Londres, Boris Johnson, possível sucessor de Cameron à frente dos conservadores, e que acabou de aliar-se ao chamado “gangue dos seis”.

Este grupo reúne 6 ministros de Cameron – Michael Gove (Finanças), Iain Duncan Smith (Trabalho e Pensões), John Whittingdale (Cultura), Chris Grayling (presidente da Câmara dos Comuns), Theresa Villiers (ministra da Irlanda do Norte) e Priti Patel (secretário de Estado do Emprego) – prontos a fazer campanha pelo “Brexit”.

Na mesma disposição estão, estima a imprensa britânica, mais de um terço dos deputados do próprio partido.