Última hora

Última hora

Futuro do Irão em jogo na dupla eleição de sexta-feira

Os iranianos são chamados às urnas esta sexta-feira para elegerem um novo Parlamento e uma nova Assembleia de Peritos ou Especialistas. Damos-lhe a conhecer, por dentro, a realidade de um "tesouro" at

Em leitura:

Futuro do Irão em jogo na dupla eleição de sexta-feira

Tamanho do texto Aa Aa

Alguns cartazes estão limitados à dimensão de 20 centímetros por 15. Não há autorização para comícios, não há tempo de antena na televisão nem sequer nas redes sociais da internet. No Irão, apenas é permitida uma campanha política curta e discreta, apesar dos apelos oficiais à participação e a importância da dupla eleição desta sexta-feira para o Parlamento e para a chamada Assembleia de Peritos ou de Especialistas.

Os reformistas, que boicotaram as eleições de 2012 e foram então marginalizados, estão de volta e com o objetivo de renovarem o Parlamento onde os conservadores estão em maioria. Para essa mudança, os reformistas precisam de despertar da apatia os eleitores, sobretudo porque muitos dos candidatos que propõem, em especial as figuras de primeiro plano, foram rejeitadas pelo Conselho de Guardiães da Constituição.

(Barrados nas ruas, os reformistas apelam voto pela internet.)

No Irão, os candidatos devem inscrever-se e ser previamente aprovados por este órgão regulador. Dos quase 12 mil candidatos inscritos, apenas 54 por cento passaram pelo filtro do Conselho de Guardiães.

O ministro-adjunto do Interior e porta-voz do Ministério, Hosseinali Amiri, especifica: “6175 candidatos foram aprovados (para concorrer ao Parlamento). 5259 foram considerados como não tendo correspondido aos requerimentos para concorrer ou foram simplesmente desqualificados.”

Os iranianos vão eleger 290 deputados para o Parlamento. Cinco lugares estão reservados às minorias religiosas. Entre os 6175 candidatos, 586 são mulheres.

A competência do Parlamento iraniano não abrange a política externa, mas tem um papel essencial na política económica do país. Por isso, deter a maioria da assembleia é importante tendo em vista as presidenciais do próximo ano, mas não só.

Esta sexta-feira, o Irão elege ainda a nova composição da Assembleia de Peritos, composta por 88 lugares. Todos os 166 candidatos a este órgão foram previamente escolhidos pelo Líder Supremo, a mais alta autoridade da República Islâmica do Irão.

Esta Assembleia é renovada a cada oito anos. Os candidatos têm de ter um alto nível religioso e uma vez eleitos, juntos, passam a ter o poder de eleger o novo Líder Supremo. Com 73 anos, a liderança do aiatola Ali Khamenei pode estar à beira do fim e a escolha do próximo Guia Supremo passa por esta nova Assembleia de Peritos.

Num dos 88 assentos da Assembleia de Peritos conta estar o moderado Hassan Rohani, o atual Presidente do Irão e grande responsável pelo programa nuclear iraniano aprovado pelas grandes potências mundiais e que permitiu levantar as sanções económicas sobre o país. Será suficiente a popularidade de Rouhani para entrar na Assembleia de Peritos?

(Rohani procura ganhos para os moderados no teste das eleições.)