This content is not available in your region

Kosovo: Manifestantes contra o Governo montam tendas na praça central de Pristina

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva  com REUTERS
Kosovo: Manifestantes contra o Governo montam tendas na praça central de Pristina

<p>Centenas de kosovares instalaram esta terça-feira tendas na praça principal da capital Pristina como forma de protesto contra o Governo, num movimento social que dura há já vários meses. Exigem que sejam convocadas eleições de forma imediata e que seja suspenso um voto no parlamento nacional que permitirá a chegada ao poder de um novo Presidente, partidário da normalização das relações com a vizinha Sérvia e que participou nas recentes negociações com vista a um acordo para a atribuição de mais poder à minoria sérvia. <p></p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"align="center"><p lang="en" dir="ltr">Kosovo Opposition Pitches Tents In Central Pristina, Calls For New Elections <a href="https://t.co/8aSznxB4DT">pic.twitter.com/8aSznxB4DT</a></p>— Lavdrim Lita (@lavdrimlita) <a href="https://twitter.com/lavdrimlita/status/702259727254876165">February 23, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"align="center"><p lang="de" dir="ltr">In <a href="https://twitter.com/hashtag/Pristina?src=hash">#Pristina</a> protestiert heute die Opposition vor dem Regierungsgebäude gegen d. nächsten Präsidenten Hashim Thaçi. <a href="https://t.co/KCFxf1sjr3">pic.twitter.com/KCFxf1sjr3</a></p>— FranziskaTschinderle (@franziska_tsch) <a href="https://twitter.com/franziska_tsch/status/702246244744351744">February 23, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p> <p>Os partidos da oposição acusam o também aquele que é candidato presidencial, vice Primeiro-ministro e líder da força política mais importante no parlamento, o Partido Democrático do Kosovo (<span class="caps">PDK</span>), Hashim Thacim, de nepotismo e corrupção, acusações que Thacim recusa categoricamente. </p> <p>Os mais recentes protestos por parte da oposição começaram em outubro último, depois de um acordo levado a cabo com a ajuda da União Europeia com vista à normalização das relações com a Sérvia. Sucederam-se os protestos nas ruas, com violentas manifestações e enfrentamentos com a polícia. Pelo menos um edifício governamental foi incendiado.</p> <p>Outra das formas de protesto por parte das forças da oposição é <a href="http://pt.euronews.com/nocomment/2016/02/20/kosovo-oposicao-espalha-gas-lacrimogeneo-no-parlamento/">o lançamento de gás lacrimogéneo no parlamento</a>, episódio que tem vindo a repetir-se durante os últimos meses.</p> <p>Visar Ymeri, líder do maior partido da oposição, disse à agência Reuters que pretendem manifestar-se na praça central de Pristina “até que o Governo vá embora para casa”.</p> <p>“O Kosovo não pode ser governado por políticos que colocaram em perigo a soberania do país”, acrescentou.</p> <p>Na passada sexta-feira, a oposição lançou, pela última vez, gás lacrimogéneo no parlamento para protestar, mais uma vez, contra o acordo com a Sérvia e para pedir a anulação de um acordo fronteiriço com o Montenegro.</p> <p>Para o Governo kosovar, a oposição mais não faz do que “lançar o país no caos e na anarquia.”</p> <p>O Kosovo declarou a independência da Sérvia em 2008, praticamente uma década depois dos ataques das forças da <span class="caps">NATO</span> terem expulsado as forças sérvias, acusadas, por seu lado, de expulsarem civis de etnia albanesa durante os conflitos que assolavam a região.</p> <p>Muitos albano-kosovares defendem que o acordo estabelecido com a Sérvia em 2015 representa, na realidade, uma ameaça para a soberania do país.</p>