Última hora

Última hora

Adolescente sueca resgatada em Mossul: "não sabia nada sobre o EI"

As forças do Curdistão iraquiano anunciaram ter resgatado uma adolescente sueca na capital do grupo Estado Islâmico em Mossul. A rapariga de 16 anos

Em leitura:

Adolescente sueca resgatada em Mossul: "não sabia nada sobre o EI"

Tamanho do texto Aa Aa

As forças do Curdistão iraquiano anunciaram ter resgatado uma adolescente sueca na capital do grupo Estado Islâmico em Mossul.

A rapariga de 16 anos tinha fugido de casa em Maio, em companhia do namorado, para entrar ilegalmente na Síria através da Turquia.

A jovem, proveniente da cidade de Gothenburg como 50 dos 150 suecos atualmente a viver no autodenominado “Califado”, afirma-se arrependida e enganada.

“Quando conheci o meu namorado tudo corria bem, mas ele começou a ver vídeos do Estado Islâmico e começou a falar do grupo. Eu não sei nada sobre o Islão ou o EI, nem percebo o que querem. Mas ele disse que queria juntar-se ao grupo e eu disse que sim, sem problema, pois não percebia nada daquilo”.

A jovem encontrar-se-ia em contato com a família desde há vários meses, depois de ter pedido para ser resgatada.

As forças do Curdistão iraquiano afirmam ter recuperado a adolescente, de forma discreta, em pleno centro de Mossul.

Segundo os últimos dados cerca de 30 mil cidadãos estrangeiros engrossam desde há vários meses as fileiras do grupo armado na Síria e no Iraque, um quarto dos quais serão provenientes da Europa.

Numa entrevista a um periódico alemão, o responsável da Europol, anunciava que cerca de cinco mil combatentes europeus estariam a tentar regressar aos seus países de origem.