Última hora

Última hora

Eleições Irlanda: Austeridade pode condenar partidos no governo

Os irlandeses escolhem esta sexta-feira que vai governar o país nos próximos anos. Estas que são as primeiras eleições legislativas desde o fim do

Em leitura:

Eleições Irlanda: Austeridade pode condenar partidos no governo

Tamanho do texto Aa Aa

Os irlandeses escolhem esta sexta-feira que vai governar o país nos próximos anos. Estas que são as primeiras eleições legislativas desde o fim do programa de resgate de 85 mil milhões de euros, em 2013.
De acordo com as últimas sondagens, os eleitores querem algumas mudanças depois da austeridade. Mas a vitória deve ser garantida pelo partido de centro-direita no poder, Fine Gael, mas sem maioria para formar governo. Ou seja, devem ser necessárias coligações.

Estas legislativas acontecem numa altura em que a Irlanda está em plena recuperação: registou a maior taxa de crescimento económico na União Europeia nos primeiros nove meses do ano passado, 7%.

Mas os 4,6 milhões de irlandeses garantem que estão cansados de anos de cortes, aumento de impostos, desemprego e emigração. Os eleitores querem saber se a recuperação está a ser distribuída equitativamente ou apenas a beneficiar as elites que responsabilizam pela crise.

Os analistas acreditam o partido do primeiro-ministro Enda Kenny consiga fazer uma coligação com pequenos partidos e independentes. Caso contrário, podem ser convocadas novas eleições.

O Fine Gael e os trabalhistas, com quem governaram coligados, pedem a reeleição para consolidar a recuperação.

As sondagens dão uma vitória por escassa margem ao Fine Gael, com 30%, seguido do Fianna Fail (20%) e do Sinn Féin (15%).

O Labour (Trabalhistas) pode ser penalizado pelo eleitorado de centro-esquerda por ter integrado “o governo da austeridade”. Nas sondagens não vai além dos 7% das intenções de voto, muito abaixo dos 19,4% que obteve nas últimas eleições.