Última hora

Última hora

Milhares de pessoas em Londres na que foi considerada a maior manifestação anti-nuclear desde há décadas

Milhares de pessoas marcharam em Londres pelo desarmamento nuclear este sábado, naquilo que já se considerou ser a maior manifestação anti-nuclear

Em leitura:

Milhares de pessoas em Londres na que foi considerada a maior manifestação anti-nuclear desde há décadas

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas marcharam em Londres pelo desarmamento nuclear este sábado, naquilo que já se considerou ser a maior manifestação anti-nuclear desde 1983.

Jeremy Corbyn, líder trabalhista da oposição, participou e teve um dos discursos mais aplaudidos da manifestação.

Em causa, a renovação da frota de submarinos nucleares Trident, que custaria, segundo o Ministério da Defesa britânico, mais de 39 mil milhões de euros, num período de 20 anos.
A este valor, acresceriam ainda mais de 12 mil milhões de euros para fazer face ao aumento de custos ao longo do tempo previsto.

A base nuclear está localizada em Faslane, na Escócia e a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, classificou o programa nuclear como “imoral”, acrescentando: “Não quero ver Faslane fechar. Desde há muito digo que Faslane devia ser uma base naval convencional, e claro, precisa haver investimento e diversificação para assegurar que são criados empregos alternativos para as pessoas que actualmente trabalham nas armas nucleares Trident. Mas sabe-se que precisamos de investir recursos escassos em coisas que criam bons empregos e melhoram os nossos serviços públicos.”.

David Cameron anunciou a intenção de comprar 4 submarinos Trident em outubro e o governo diz que o programa nuclear é “vital”.

Estão previstos para o final do ano, no Parlamento, um debate e votação posterior sobre a renovação do programa nuclear britânico.