Última hora

Última hora

EUA a caminho de um frente a frente Trump-Clinton?

Chris Cummins, euronews, Lyon: “Juntamo-nos ao nosso correspondente em Washington, Stefan Grobe, para analizar a chamada ‘Super Terça-Feira’, durante

Em leitura:

EUA a caminho de um frente a frente Trump-Clinton?

Tamanho do texto Aa Aa

Chris Cummins, euronews, Lyon: “Juntamo-nos ao nosso correspondente em Washington, Stefan Grobe, para analizar a chamada ‘Super Terça-Feira’, durante a qual a época das primárias ganha uma amplitude nacional. O eco triunfante de Donald Trump irá soar através dos Estados Unidos?”

Stefan Grobe, euronews, Washington: “Ele pode certamente controlar a mesa de jogo nesta ‘Super Terça-Feira’. Se olharmos para as últimas sondagens, só há um Estado no qual não lidera, o Texas. Mas se ganhar em todos os outros Estados que estão em jogo, será imparável. O que é interessante, é que atraiu apoios de todo o espectro do partido Republicano, dos protestantes aos homens de negócios. Mas esta não é uma campanha sobre assuntos políticos ou valores fundamentais. É basicamente um voto de protesto, porque existe muita ira e frustração contra a ordem estabelecida no partido Republicano em Washington. E, obviamente, a instituição republicana não foi capaz de unir-se à volta de um candidato moderado, como aconteceu com Mitt Romney há quatro anos, ou com John McCain, há oito anos.”

CC: “Hillary Clinton parece ter ganho um certo impulso. Qual é o nível de confiança do campo Clinton?”

SG: “O campo Clinton está bastante confiante, sobretudo depois das duas últimas etapas, no Nevada e, em particular, na Carolina do Sul. Hillary Clinton conta com um grande apoio por parte das minorias e isso será fundamental nesta ‘Super Terça-Feira’. Conta com vantagens confortáveis em 7 dos 11 Estados; no sul, são Estados ricos em delegados e ela poderá acumular uma margem enorme no que diz respeito ao número de delegados, que Bernie Sanders poderá ver-se impossibilitado de bater. E ainda nem falámos acerca do dinheiro: se ele tiver um mau resultado na ‘Super Terça-Feira’ e mais além, irá provavelmente esgotar os fundos de campanha e não conseguirá obter apoio do partido, que apoiará solidamente Hillary Clinton.”

CC: “Segundo o que dizes, será um frente a frente entre Trump e Clinton para a Casa Branca?”

SG: “Penso que estamos a caminhar para essa corrida mais rápido do que pensamos e, depois, vão saltar as luvas. Donald Trump já deixou entender que vai atacar fortemente Hillary Clinton. Vai atacar o seu historial como secretária de Estado, os seus emails, temas polémicos como Benghazi, os problemas legais de Clinton, bem como o legado familiar e a ‘máquina’ Clinton. Vai tornar-se bastante desagradável. Quanto a Hillary Clinton, ela menciona Trump ocasionalmente nos discursos de campanha, mas ainda não lhe apontou as armas. Mas vai provavelmente atacar o seu temperamento, a falta de substância política ou a sua virulência e xenofobia. Por isso, penso que vamos a caminho de uma campanha bastante longa e bastante suja.”

CC: “Obrigado, Stefan, desejo-te uma ‘Super Terça-Feira’! Siga a euronews, na televisão e na internet, para todos os resultados e reações.”