Última hora

Última hora

Itália acolhe 93 sírios na primeira viagem do "corredor aéreo humanitário"

A Itália abre as portas a um milhar de refugiados nos próximos dois anos, ao inaugurar um “corredor aéreo humanitário” na crise migratória que atinge

Em leitura:

Itália acolhe 93 sírios na primeira viagem do "corredor aéreo humanitário"

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália abre as portas a um milhar de refugiados nos próximos dois anos, ao inaugurar um “corredor aéreo humanitário” na crise migratória que atinge a Europa.

No total, 93 cidadãos sírios, 41 dos quais menores, foram acolhidos esta segunda-feira em Roma, provenientes de Beirute, no Líbano.

A iniciativa conjunta de associações católicas, protestantes e evangélicas, pretende selecionar os casos mais urgentes na Síria, Líbano, Marrocos e Etiópia, evitando as redes de traficantes e as mortes no Mediterrâneo.

Para Mirvat Sayeg, de 23 anos e natural de Aleppo:

“Estou contente mas um pouco nervosa, sinto um pouco de estresse face a uma nova vida num sítio onde nunca estive. Não tenho grandes sonhos, quero continuar a estudar, trabalhar, ter uma vida normal”.

Nakhle Abbpoud, um refugiado sírio de 29 anos afirma:

“Vi muita gente boa hoje e penso que vai ser uma boa viagem para começar a minha carreira e tentar ter um futuro diferente”.

Os refugiados foram distribuídos por associações como a Comunidade de Santo Egídio ou a Federação da Igreja Evangélica, por cidades como Trento, Turim, Florença e Roma.

O próximo voo do corredor humanitário, apoiado pelo governo italiano, está agendado para daqui a menos de um mês.