This content is not available in your region

Óscares 2016: "O Filho de Saul" vale distinção à Hungria em Hollywood

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
Óscares 2016: "O Filho de Saul" vale distinção à Hungria em Hollywood

<p>“O Filho de Saul” confirmou o favoritismo e foi eleito, este domingo à noite, o melhor filme de língua não inglesa na 88.a edição da cerimónia de entrega dos Óscares, os prémios da Academia de Cinema de Hollywood, os prémios mais famosos da sétima arte. </p> <p>Estreado no Brasil a 4 de fevereiro e, em Portugal, na semana passada (25 de fevereiro), o primeiro filme do realizador László Nemes consagrou este ano a Hungria, diante de concorrentes da Colômbia (“O abraço da Serpente”, de Ciro Guerra), de França (“Mustang”, de Deniz Gamze Ergüven e falado em turco), da Dinamarca (“Guerra”, de Tobias Lindholm) e da Jordânia (“Theeb – O Lobo do Deserto”, de Naji Abu Nowar). </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">The <a href="https://twitter.com/hashtag/Oscar?src=hash">#Oscar</a> for Foreign Language Film goes to… <a href="https://t.co/N57fb1S9qn">pic.twitter.com/N57fb1S9qn</a></p>— The Academy (@TheAcademy) <a href="https://twitter.com/TheAcademy/status/704156241346502656">29 de fevereiro de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>“Gostava de partilhar este prémio com Géza Röhrig, o meu ator principal, e com toda a equipa do elenco, que acreditou no projeto quando mais ninguém acreditava”, afirmou o realizador no palco do Dolby Theatre de Hollywood, em Los Angeles, Estados Unidos, após receber a estatueta dourada.</p> <p>O filme causou sensação, em maio do ano passado, na estreia mundial nos ecrãs do Festival de Cannes, em França, onde arrecadou o prémio da Crítica Internacional e o Grande Prémio do Júri, presidido em 2015 pelos irmãos Coen. Daí para cá, “O Filho de Saul”, tem colecionado prémios, incluindo, em janeiro, já nos Estados Unidos, <a href="http://pt.euronews.com/2016/01/12/vencedor-de-um-globo-de-ouro-filho-de-saul-estreia-no-brasil-a-4-de-fevereiro/">um Globo de Ouro também para melhor filme estrangeiro</a>.</p> <iframe type="text/html" width="606" height="341" src="http://pt.euronews.com/embed/306656/" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>Na altura, o diretor de fotografia, Mátyás Erdély, considerava “estes prémios importantes para que mais gente possa ouvir falar deste filme e assim torná-lo mais conhecido”. “Se toda esta loucura à nossa volta significar que mais pessoas que, à partida não iriam ver este filme, agora decidam ir vê-lo, isso é o que mais interessa. É por isso que estes prémios são bons”, reforçou.</p> <p>“O Filho de Saul” recua a 1944 e conta a história de um judeu húngaro detido em Aushwitz, recrutado pelos nazis para os chamados “Sonderkommando” e forçado a trabalhar na limpeza das câmaras de gás após as sessões do genocídio ali praticadas. Um dia descobre na câmara o corpo de uma criança que parece o seu filho.</p> <p>“O Filho de Saul” mantém-se em cartaz <a href="http://www.adorocinema.com/filmes/filme-237178/programacao/">no Brasil</a> e <a href="http://tudonumclick.com/cinema/filme/753/o-filho-de-saul/">em Portugal</a> (clique no país para saber em que salas).</p> <iframe type="text/html" width="606" height="341" src="http://pt.euronews.com/embed/307863/" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <iframe width="606" height="341" src="https://www.youtube.com/embed/BI1UYT33txk" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <div style="width:606px;margin-bottom:8px;">   <div style="background-color:#e8e8e8; font-size:12px; padding:8px;border-radius:8px;"> <h3>Principais prémios ganhos por “O filho de Saul”</h3> <p>- Óscar para Melhor filme de Língua não inglesa (28 de fevereiro de 2016);<br /> – Melhor filme em língua não francesa pelo Sindicato Francês de Críticos de Cinema (2 de fevereiro de 2016);<br /> – Melhor Filme em língua não inglesa nos Prémios dos Críticos de Cinema norte-americanos (17 de janeiro de 2016);<br /> – Grande Prémio da Associação Belga de Críticos de Cinema (10 de janeiro de 2016);<br /> – Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro (10 de janeiro de 2016).<br /> – Melhor Filme Independente Internacional no Reino Unido (3 de novembro de 2015);<br /> – Festival de Cannes: Grande Prémio do Júri e Prémio da Crítica Internacional (24 de maio de 2015); </p> </div> </div>