Última hora

Última hora

Crise de refugiados: Noite de "pesadelo" na fronteira entre a Grécia e a Macedónia

Uma noite de “pesadelo” foi o que milhares de migrantes e refugiados passaram de segunda para terça-feira, na fronteira entre a Grécia e a Macedónia

Em leitura:

Crise de refugiados: Noite de "pesadelo" na fronteira entre a Grécia e a Macedónia

Tamanho do texto Aa Aa

Uma noite de “pesadelo” foi o que milhares de migrantes e refugiados passaram de segunda para terça-feira, na fronteira entre a Grécia e a Macedónia. Mais de 7000 pessoas estão bloqueadas entre os dois países devido ao reforço de controlo sobre quem pretende cruzar a fronteira para norte.

(Cerca de 7000 pessoas estão encalhadas em Idomeni.)

A muita chuva, o frio e o nevoeiro tornaram a pernoita muito difícil para os migrantes. “Foi um pesadelo. Acordámos numa piscina. Fomos forçados a deslocar a nossa tenda para outro sítio porque baixo já corria água. Foi uma noite muito difícil”, contou Yusuf, um migrante oriundo de Damasco, capital da Síria.

(Para tornar um dia miserável ainda pior, está a chover em Idomeni e esta e a fila para os impermeáveis.)

Após as restrições impostas na semana passada pela Áustria, Croácia e Eslovénia, três países da União Europeia (UE), bem como pela Macedónia e Sérvia, que limitaram o número de entradas em ambos os países, a Grécia advertiu que o atual número de refugiados no seu território— atualmente em cerca de 22.000 — poderá subir rapidamente para 70.000.

O Presidente da Macedónia garantiu, numa entrevista â revista alemã Der Spiegel, que a designada “rota dos Balcãs” utilizada pelos migrantes e refugiados será “encerrada” assim que a Áustria atingir o limite de entradas no país que fixou nos 37.500 para este ano, depois de já ter limitado a entrada no país a 80 requerentes de asilo por dia. “É necessa´rio uma decisão política agora. Para breve, já será demasiado tarde”, avisou Gjorge Ivanov.

Na segunda-feira, a polícia macedónia chegou a disparar gás lacrimogéneo contra um grupo de cerca de 300 sírios e iraquianos. O grupo tentou forçar a barreira de rede e arame que agora separa a Grécia da Macedónia, no posto fronteiriço de Idomeni.

(Gás lacrimogéneo usado contra a multidão na fronteira entre a Grécia e a Macedónia onde estão encalhados 7000 requerentes de asilo.)

(Um polícia e 9 migrantes ficaram feridos durante os incidentes na fronteira…)

Macedónia continua a processar requerimentos de asilo

O Ministério do Interior Macedónia comunicou, entretanto, que desde 1 de janeiro deste ano e o final de fevereiro já controlou 87.840 cidadãos estrangeiros.

O Departamento de gestão de pedidos de asilo, do ministério liderado por Oliver Spasovski, reconheceu 29 (22 sírios e 7 afegãos) pedidos legítimos de asilo. Só nesta última segunda-feira terão sido requeridos 4 reconhecimentos de pedidos de asilo por cidadãos sírios.

(Ministro do Interior Oliver Spasovski espera uma decisão sensata da União Europeia face à crise de refugiados.)