Última hora

Última hora

Grécia desespera com o fluxo migratório

É preciso agir urgentemente!!! A Grécia não tem mãos a medir face à crise dos migrantes que ninguém quer receber. O Alto Comissário das Nações Unidas

Em leitura:

Grécia desespera com o fluxo migratório

Tamanho do texto Aa Aa

É preciso agir urgentemente!!! A Grécia não tem mãos a medir face à crise dos migrantes que ninguém quer receber. O Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos denuncia o “discurso de ódio” de vários dirigentes e a xenofobia crescente que enfrentam as milhares de pessoas que tentam chegar à Europa.

A pequena aldeia grega de Idomeni, na fronteira com a Macedónia, conta apenas 154 habitantes e enfrenta uma das piores crises humanitárias.

No campo principal, com capacidade para duas mil pessoas, acumulam-se já mais de sete mil e o fluxo não pára. Desde que os países dos balcãs decidiram filtrar as entradas nos respetivos territórios, a situação agrava-se todos os dias.

“Para conseguirmos água temos que passar quatro, ou cinco horas numa fila de espera. Estão aqui sete mil pessoas e só há um ponto de distribuição de água e comida”, queixa-se um refugiado de Aleppo.

O governo grego afirma que faz tudo o que pode e que o exército está completamente mobilizado nesta crise, alimentando diariamente cerca de 10 mil pessoas.

Segundo a ONU, cerca de 24 mil migrantes estão atualmente bloqueados na Grécia, mas o governo de Atenas estima que daqui até ao final de março serão entre 50 e 70 mil e enviou para Bruxelas um SOS para 480 milhões de euros de ajuda financeira.

A Macedónia é a primeira barreira na rota dos balcãs, onde os estados foram progressivamente limitando a passagem aos milhares que querem atingir os países da Europa Central e do Norte.

Na segunda-feira, este pequeno país na fronteira com a União Europeia deixou passar 300 cidadãos iraquianos e sírios.
Galvanizados por essa passagem, centenas de outros – homens mulheres e crianças – tentaram passar pela força, tendo sido travados pelas forças de segurança e dispersados com gás lacrimogénio.

Todos os dias centenas de migrantes se aproximam da zona de passagem entre a Grécia e a Macedónia na esperança de que a porta se abra… Alguns dias, o milagre acontece, mas nunca para mais de 300 pessoas. Para os outros milhares, o calvário continua….