Última hora

Última hora

Migrantes: CE oferece ajuda humanitária aos próprios Estados membros

É uma situação inédita: pela primeira vez, a Comissão Europeia propõe ajuda humanitária não a países pobres externos mas aos próprios Estados membros, para que façam face à crise migratória

Em leitura:

Migrantes: CE oferece ajuda humanitária aos próprios Estados membros

Tamanho do texto Aa Aa

É uma situação inédita: a Comissão Europeia propõe ajuda humanitária aos próprios Estados membros. Objetivo: ajudar os países mais atingidos pela crise migratória.

O envelope comunitário deverá atingir os 700 milhões de euros para três anos. Só a Grécia diz precisar de quase 500 milhões de euros para acolher os 100 mil refugiados esperados este ano.

Tarek, um migrante sírio, queixa-se da falta de condições do campo de Idomeni, na fronteira grega com a Macedónia: “Não há tendas suficientes. São muito pequenas. Duas pessoas ou três pessoas na mesma tenda. Há pessoas a dormir na rua, molhadas, ao frio.”

Só neste campo, na fronteira com a Macedónia, estão, atualmente, mais de 7000 pessoas.

Vários países comunitários ou não, bloquearam as fronteiras, a começar pela Macedónia que, deixa passar os migrantes a conta-gotas. Esta quarta-feira, aceitou 170.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, encontra-se nos Balcãs, para ver ‘in loco’, a situação – antes da cimeira extraordinária de 7 de março, à qual a Turquia também assistirá.