Última hora

Em leitura:

Festival Al Bustan: Beirute ao som de Shakespeare


musica

Festival Al Bustan: Beirute ao som de Shakespeare

Em parceria com

A música e Shakespeare: é o cativante tema da edição deste ano do Festival Al Bustan, em Beirute. Do Líbano para o mundo, as obras musicais inspiradas pelas peças do mítico autor inglês.

Apesar de uma história recente marcada pelos conflitos, a música continuou a ecoar em Beirute. Ao longo dos últimos 23 anos, o festival de música clássica Al Bustan prosseguiu, mesmo nos períodos mais sombrios do Líbano – em toda a sua história, apenas um concerto foi cancelado. Tudo graças à profunda dedicação da fundadora Myrna Bustani, a mulher conhecida também por se ter tornado na primeira deputada libanesa.

“Regressei ao Líbano em 1991. Ao visitar Beirute, vi o quão dramático era o panorama da música clássica. As pessoas só a ouviam quando havia um funeral, quando alguém era assassinado ou se uma bomba tinha explodido… Fiquei tão chocada que decidi fazer algo. Falei com alguns amigos e disse-lhes: ‘E se fizéssemos um festival no inverno?’ Eles responderam-me: ‘Achas que vais conseguir artistas que aceitem vir ao Líbano?’ E eu sempre lhes disse que os artistas são os que mais coragem têm”, afirma Bustani.

O tema da edição deste ano é “Música e Shakespeare”, numa altura em que se celebram os 400 anos da morte do mítico autor. O programa inclui, portanto, uma variedade de óperas clássicas, como “Otelo” nas versões de Verdi e Rossini, até adaptações de teatro tradicional japonês.

O “Sonho de uma Noite de Verão”, tal como Mendelssohn compôs para acompanhar a respetiva peça de teatro, também é presença marcante, como nos explica o diretor artístico do festival, Gianluca Marcianò: “Mendelssohn fez um trabalho muito sofisticado nesta orquestração. Ele seguiu perfeitamente as indicações de Shakespeare. É como uma espécie de malha, cheia de detalhes. Mendelssohn fez sobressair os mais ínfimos pormenores, como o som dos animais. Do burro, por exemplo.”

Marcianò sublinha também a importância deste evento num país que tem vivido períodos tão conturbados: “Um concerto é um momento de catarse para o público. Todos os problemas do quotidiano desaparecem, nem que seja por alguns instantes. É uma forma de regressarmos à raiz do que é um ser humano, à pureza dos sentimentos.”

O Festival Al Bustan começou no dia 16 de fevereiro e prolonga-se até 20 de março.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

musica

O feitiço que a Alcina de Handel lançou em Monte Carlo