Última hora

Última hora

Lula da Silva alvo da operação Lava Jato

“Um dos principais beneficiários do escândalo de corrupção que envolve a Petrobras”, foi com base em vários indícios neste sentido que antigo

Em leitura:

Lula da Silva alvo da operação Lava Jato

Tamanho do texto Aa Aa

“Um dos principais beneficiários do escândalo de corrupção que envolve a Petrobras”, foi com base em vários indícios neste sentido que antigo presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, foi detido Polícia Federal para ser interrogado no âmbito do caso Lava Jato.

Algumas horas depois de ser questionado, o antigo presidente brasileiro foi libertado.

De acordo com a Procuradoria-Geral, há dados que apontam para o facto de Lula da Silva ter recebido valores através de obras em pelo menos dois imóveis e também, por doações, palestras e também outros serviços.

A equipa de Lula denuncia uma “caça às bruxas” que visa inviabilizar uma eventual candidatura do antigo Presidente do Brasil presidenciais de 2018.

Na rua em frente à sua casa de São Paulo, apoiantes do antigo líder brasileiro entraram em confronto que opositores o que obrigou à intervenção da polícia.

A residência de Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, São Paulo, foi um dos alvos da 24.a fase da operação ‘Lava Jato’, uma investigação anticorrupção em curso no Brasil, que envolve alegados esquemas de lavagem de dinheiro relacionados com a petrolífera nacional, a Petrobras, e que está também a afetar a atual Chefe de Estado, Dilma Rousseff.

A casa de Fábio Luíz Lula da Silva, o filho do antigo Presidente, e o Insttituo Lula também foram incluídos na operação de buscas iniciada esta sexta-feira de manhã, intitulada “Operação Aletheia” e que envolve cerca de 200 agentes da polícia federal e 30 auditores da Receita federal.

Estão a ser cumpridas pelas autoridades 44 ordens judiciais, incluindo 33 mandados de busca e apreensão e 11 mandados de condução coercitiva. As medidas estão a ser cumpridas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

Para além de Lula da Silva, também o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, foi alvo de um mandado de condução coercitiva.

A “Operação Aletheia” terá sido despoletada por investigações à compra e reforma de um sítio em Atibaia frequentado por Lula da Silva e a relação desses e outros episódios com empreitadas investigadas na “Lava Jato.”