Última hora

Última hora

MH370: Dois anos depois está quase tudo por esclarecer

Familiares apresentaram queixa contra Malaysia Airlines, Boeing e Rolls-Royce.

Em leitura:

MH370: Dois anos depois está quase tudo por esclarecer

Tamanho do texto Aa Aa

Dois anos após o misterioso desaparecimento do avião da Malaysia Airlines, que fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim, quase tudo continua por esclarecer.

Depois de uma cerimónia comemorativa no fim de semana, na Malásia, esta segunda-feira, véspera do aniversário do fatídico dia, familiares dos passageiros que embarcaram no voo MH370 reuniram-se na capital chinesa e decidiram avançar com um processo contra as várias empresas ligadas à tragédia em mais uma tentativa de pressão para que os factos sejam esclarecidos.

O pai de um dos desaparecidos refere que a queixa é contra a “Malaysia AIrlines, a Boeing, a Rolls-Royce e todos os que são responsáveis”, porque têm falhado nas suas “responsabilidades e obrigações” em relação às famílias, que devem ser “compensadas”.

Entretanto, as autoridades australianas, que lideram as buscas, consideram “muito provável” encontrar destroços do aparelho antes da data prevista para o encerramento da operação, em julho.

A peça de um avião que deu à costa, em Moçambique, na semana passada, está a ser analisada para verificar se pertence ao Boeing 777 desaparecido no dia 8 de março de 2014.