Última hora

Última hora

Proteger as infraestruturas do mau tempo

Em leitura:

Proteger as infraestruturas do mau tempo

Tamanho do texto Aa Aa

Reagir eficaz e rapidamente a fenómenos climatéricos extremos é crucial para salvar vidas e mitigar danos nas estruturas.

Reagir eficaz e rapidamente a fenómenos climatéricos extremos é crucial para salvar vidas e mitigar danos nas estruturas.

Em Porvoo, próximo de Helsínquia, os bombeiros simulam uma chamada de emergência: uma estrada ficou bloqueada por causa da queda de árvores durante uma tempestade. Para resolver o problema, os soldados da paz têm à disposição veículos com gruas especiais, controladas por ‘joystick’ e que conseguem cortar e segurar a madeira rapidamente e em segurança.

Um bombeiro explica que a “tecnologia já é utilizada nas atividades ligadas à floresta há muitos anos e notámos que também pode ser útil nas operações dos serviços de emergência. O equipamento também está a ser utilizado em caso de incêndio em habitações. Por exemplo, se for necessário remover o telhado de uma casa em chamas”.

Os bombeiros participam também no RAIN, um projeto europeu com o objetivo de estabelecer um quadro sistemático para a gestão de riscos ao lidar com as consequências de fenómenos climatéricos extremos em infraestruturas, como as estradas.

“Com o projeto RAIN, tentamos ajudar os serviços de socorro e a proteção civil a melhorarem a eficácia e a eficiência nas operações”, explica um dos parceiros da iniciativa, Timo Hellenberg.

O mercado central de Helsínquia foi palco de uma cheia em 2005. No quadro do projeto RAIN, a capital finlandesa está a construir passeios pedonais, cerca de 1,2 metros acima do nível da rua, que funcionam como diques em caso de cheia e que também podem ser abertos como as comportas para deixar as águas do degelo correrem para o mar.

“Com este passeio, prevenimos inundações na área residencial. Em vez de protegermos cada edifício separadamente, conseguimos proteger áreas mais vastas com estes diques bastante simples”, refere um elemento dos bombeiros de Helsínquia.

No total, já foram construídos 10 km de estruturas similares em várias áreas de Helsínquia e está prevista a construção de muitas mais à medida que a frequência de fenómenos climatéricos extremos não para de aumentar.