This content is not available in your region

Ancara responsabiliza curdos pelo atentado

Access to the comments Comentários
De  Marco Lemos  com reuters, efe, afp
Ancara responsabiliza curdos pelo atentado

<p>Ancara volta a apontar o dedo aos curdos na responsabilidade pelo atentado suicida deste domingo, na capital da Turquia, que fez 37 mortos e mais de uma centena de feridos, alguns dos quais em estado crítico.</p> <p>As autoridades afirmam que um dos suspeitos é uma mulher encontrada entre os mortos e que terá ligações ao <span class="caps">PKK</span>, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, classificado como “organização terrorista” pela Turquia.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" align="center" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">37 people killed in Ankara suicide attack, PKK main suspect <a href="https://t.co/v7onQZH8nM">https://t.co/v7onQZH8nM</a> <a href="https://t.co/avaAOBdZrv">pic.twitter.com/avaAOBdZrv</a></p>— Turkish Minute (@TurkishMinuteTM) <a href="https://twitter.com/TurkishMinuteTM/status/709394870859919361">March 14, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Sem esperar pela conclusão do inquérito, a Força Aérea turca bombardeou, esta segunda-feira, alegadas bases do <span class="caps">PKK</span> no norte do Iraque e procedeu a várias detenções no sudeste da Anatólia.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" align="center" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Turkey carries out airstrikes after deadly bombing in Ankara <a href="https://t.co/aHX6tIINs9">https://t.co/aHX6tIINs9</a> <a href="https://t.co/ZwJFM3ipg1">pic.twitter.com/ZwJFM3ipg1</a></p>— Los Angeles Times (@latimes) <a href="https://twitter.com/latimes/status/709402502031151104">March 14, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Em Sanliurfa, uma cidade de maioria curda, perto da fronteira com a Síria, 11 pessoas foram detidas. Algumas são acusadas de terem vendido o <span class="caps">BMW</span> utilizado como carro-bomba no atentado deste domingo.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" align="center" data-cards="hidden" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">11 suspects detained after Ankara car bomb blast <a href="https://t.co/xr9QwFJKRy">https://t.co/xr9QwFJKRy</a> <a href="https://t.co/Ca5kT6sedh">pic.twitter.com/Ca5kT6sedh</a></p>— ITV News (@itvnews) <a href="https://twitter.com/itvnews/status/709421075441045504">March 14, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Também houve um número indeterminado de detenções em Tekirdag, nos arredores de Istambul, onde vive a família de um dos alegados responsáveis pelo ataque.</p> <p>Numa demonstração de força, as autoridades lançaram rusgas noutros pontos da Turquia e prenderam perto de uma centena de pessoas que ou têm ligações a Fethullah Gulen, o teólogo e pensador turco que se incompatibilizou com Erdogan e se exilou nos Estados Unidos, ou têm alegados vínculos ao <span class="caps">PKK</span>. Não há informação sobre se estas operações estão relacionadas com o atentado.</p> <p>Um texto publicado no Facebook por um britânico que vive em Ancara está a ser muito partilhado nas redes sociais. No final, James Taylor pergunta: “Foram Charlie, foram Paris. Vão ser Ancara?”:</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-cards="hidden" align="center" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">'You were Charlie, you were Paris. Will you be Ankara?' <a href="https://t.co/vUNutDdn4Y">https://t.co/vUNutDdn4Y</a></p>— <span class="caps">ICLM</span> (@ICLM_2015) <a href="https://twitter.com/ICLM_2015/status/709401848264921088">March 14, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>