Última hora

Última hora

"A Florida é o grande prémio desta super terça-feira"

Junta-se a nós a partir dos Estados Unidos, o nosso correspondente Stefan Grobe, para dar as últimas sobre a campanha eleitoral norte-americana

Em leitura:

"A Florida é o grande prémio desta super terça-feira"

Tamanho do texto Aa Aa

Junta-se a nós a partir dos Estados Unidos, o nosso correspondente Stefan Grobe, para dar as últimas sobre a campanha eleitoral norte-americana.

Seamus Kearney, Euronews: Stefan, estás em Miami, na Florida, que é talvez o maior prémio para esta super terça-feira. O que está acontecer por aí e o que está em jogo?

Stefan Grobe, Euronews: “Bom, a Florida é o grande prémio desta super-terça feira e quem ganhar aqui vai dar uma grande salto para a nomeação. No lado Republicano, as sondagens sugerem que Donald Trump tem uma grande vantagem sobre Marco Rubio que natural daqui, senador da Florida. Se Rubio não vencer aqui, penso que abandona a corrida. Do lado democrático, a Florida é a terra de Clinton. Ela tem um grande avanço sobre Bernie Sanders, o que é compreensível. A Florida tem o tipo de população favorável à Hillary Clinton, muitos latino e afro americanos, muitos militares e, claro, muitos pensionistas, pessoas que procuram uma boa vida depois de se reformarem. Naturalmente, este não é o local para Bernie Sanders lançar uma revolução.”

Seamus Kearney, Euronews: Em relação aos outros grandes quatro Estados, pode Bernie Sanders conseguir mais uma vitória e tornar-se de facto alguém a ter em conta na contagem dos delegados?

Stefan Grobe, Euronews: “Bom, entre os quatro Estados está particularmente o Ohio, onde Sanders acredita ter uma oportunidade. É estado vizinho do Michigan onde ganhou. Ele teve uma vitória tangencial no Michigan. Penso que os outros Estados estão provavelmente fora do alcance de Sanders. Por exemplo, a Carolina do Norte e o Ilinóis têm grandes comunidades latino e afro americanas que, tudo indica, votam em Clinton. Depois há o Missouri, um dos Estados prioritários que historicamente adora populistas de esquerda, por isso, talvez ele tenha uma oportunidade aí, também. Mas o Ohio é de facto o Estado imprevisível.”

Seamus Kearney, Euronews: Do lado Republicano, Trump parece ter o triunfo garantido, mas os adversários podem arruinar os planos e redesenhar o curso da corrida?

Stefan Grobe, Euronews: “Sim, Também ferve para Trump no Ohio. É um Estado que ele tem que ganhar e neste momento encontra-se empatado com o governador do Ohio John Kasich, nativo que é muito popular no Ohio. Se ele não vencer aí, então complica a caminhada para a nomeação e, naturalmente, as forças anti-Trump, no seio do partido Repúblicano ficam motivadas. Agora, Trump cancelou um evento em Miami na segunda-feira para estar e reunir apoios no Ohio A campanha de Trump ficou debaixo de intenso fogo por causa dos confrontos entre manifestantes e os apoiantes do candidato. Isso teve consequências nos outros candidatos repúblicanos que são dificil de perceber e qual o impacto nesta super terça-feira”.