Última hora

Última hora

Migrações: Chipre questiona base de acordo entre União Europeia e Turquia

A poucos dias da cimeira decisiva desta quinta e sexta-feira, a base de acordo alcançada entre a União Europeia e a Turquia para estancar o fluxo

Em leitura:

Migrações: Chipre questiona base de acordo entre União Europeia e Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

A poucos dias da cimeira decisiva desta quinta e sexta-feira, a base de acordo alcançada entre a União Europeia e a Turquia para estancar o fluxo migratório continua a enfrentar resistência.

Reunido esta terça-feira em Nicósia com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, o chefe de Estado cipriota, Nicos Anastasiades, ameaçou bloquear o projeto de acordo entre os aliados estratégicos: “A República de Chipre não pretende consentir a abertura de quaisquer capítulos se a Turquia não cumprir com as obrigações, conforme descrito no quadro de negociações.”

França e Espanha também já mostraram preocupações relacionadas com a questão humanitária. Esta segunda-feira, à chegada ao Conselho dos Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, o chefe da diplomacia espanhola, José Manuel García-Margallo, falou em desrespeito pela legislação internacional.

O homólogo da Holanda, país que assume a presidência rotativa da União Europeia, acredita que os obstáculos podem ser superados.

“Estou relativamente otimista em relação à possibilidade de alcançar um bom acordo no final desta semana. A atitude de todos os membros do Conselho, esta manhã, foi construtiva”, disse Bert Koenders depois do Conselho de Assuntos Gerais desta terça-feira, que se encarrega de preparar a cimeira.

O acordo de princípio entre a União Europeia e a Turquia contempla a readmissão, pela Turquia, dos migrantes económicos que chegam de forma clandestina à Grécia. Por cada migrante transferido, a Europa compromete-se a acolher um refugiado sírio considerado legítimo.