Última hora

Última hora

"Não existe plano 'B' para a Síria"

“Não existe plano ‘B’ para solucionar a sangrenta guerra na Síria, para lá do regresso à guerra total”. O aviso foi feito pelo mediador das Nações

Em leitura:

"Não existe plano 'B' para a Síria"

Tamanho do texto Aa Aa

“Não existe plano ‘B’ para solucionar a sangrenta guerra na Síria, para lá do regresso à guerra total”.

O aviso foi feito pelo mediador das Nações Unidas, Staffan de Mistura, durante as negociações de paz em Genebra.

Mas as perspetivas são positivas, em especial depois do anuncio da retirada das tropas russas.

Uma ideia partilhada pelo representante da oposição.

“Temos que ter a certeza sobre a natureza da decisão e o que verdadeiramente significa. Se existir uma retirada efetiva das tropas, então isso é positivo. Mas temos que ver isso traduzido no terreno”, afirmou Salim al-Muslat, representante do Alto Comité para as Negociações (oposição).

O mediador da ONU reuniu-se na segunda-feira com os representantes do governo. Esta terça-feira é a vez da oposição.

“Só a partir do resultado das negociações com os dois grupos é que vamos compreender se as negociações vão continuar, ou seja, um roteiro para a paz elaborado por Staffan de Mistura, baseado na lei 2254 e no plano Genebra 1. Caso contrário declaram o fim das negociações”, explica Omar Kouch, especialista em assuntos sírios.

As Nações Unidas estimam que o conflito sírio que dura há cinco anos já fez 250 mil mortos.

A porta para a paz está semiaberta.

A enviada especial da Euronews, Faiza Garah, explica que “a demissão do presidente Assad estará entre os pontos essenciais das discussões. Há muitas interrogações sobre se as negociações vão de facto resultar numa solução política que ponha um ponto final na devastadora guerra na Síria”.