Última hora

Última hora

Turquia: Cesme, a última paragem antes de chegar à Europa

Cesme é uma pequena cidade turca, na costa do Mar Egeu. A menos de 10 quilómetros da ilha grega de Chios, tornou-se num dos principais locais de

Em leitura:

Turquia: Cesme, a última paragem antes de chegar à Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Cesme é uma pequena cidade turca, na costa do Mar Egeu. A menos de 10 quilómetros da ilha grega de Chios, tornou-se num dos principais locais de passagem para migrantes e refugiados que tentam assegurar um lugar nos barcos que partem rumo ao território europeu.

No verão, os turistas enchem as estâncias balneares, em plena época baixa, os hóspedes são outros.

Chegam aqui sem nada. Cabe às organizações não-governamentais (ONG) locais ajudar os mais necessitados.

“Damos leite às crianças, aos bebés, biscoitos para bebés, purés de frutas e fraldas. Para as mulheres, temos pensos higiénicos. Além disto, damos, também, alimentos enlatados, pão e água. Damos, também, roupa a quem necessita”, afirma Nur Şahinoğlu, da ONG İmece Çeşme İnitiative.

Depois de milhares de quilómetros percorridos, milhares de pessoas chegam aqui exaustos e praticamente sem recursos. Um grupo de afegãos diz não ter medo de morrer para tentar chegar à Europa.

“Como temos estado, nos últimos 30 anos, debaixo de fogo de morteiros e bombistas suicidas, não temos medo da morte. A nossa situação económica não é boa e, por isso, somos forçados a sair em barcos. Eu entendo que há 99 por cento de possibilidades de morrermos”, afirma o afegão Golam Shah que se encontra em Cesme com a mulher e os cinco filhos.

Outra afegã refere que “para nós, a situação também não é muito boa. Há, também, sempre bombas a explodir, vemos a situação e estamos muito cansados”, conclui.

No mesmo dia em que os líderes da União Europeia discutem em Bruxelas, na Bélgica, um plano para ajudar o governo turco a lidar com a crise dos migrantes, centenas de pessoas aguardam nesta estância, outrora cheia de turistas alemães.

Esta estância de férias tem sido utilizada como a última paragem antes da Grécia. Está deserta, devido às últimas medidas da Turquia e às más condições atmosféricas, mas existe a possibilidade de os refugiados se fazerem ao caminho assim que as condições meteorológicas melhorarem. Este local pode encher-se de refugiados, mais uma vez.