Última hora

Última hora

Salah Abdeslam alega ter desistido de se fazer explodir nos atentados de Paris

Capturado sexta-feira, com mais 4 presumíveis cúmplices, principal suspeito dos ataques de 13 de novembro foi interrogado este sábado por juiz belga e acabou transferido para um estabelecimento prisio

Em leitura:

Salah Abdeslam alega ter desistido de se fazer explodir nos atentados de Paris

Tamanho do texto Aa Aa

Capturado sexta-feira, com mais 4 presumíveis cúmplices, principal suspeito dos ataques de 13 de novembro foi interrogado este sábado por juiz belga e acabou transferido para um estabelecimento prisional em Bruges. A extradição para França deverá demorar 3 meses.

Point of view

Estas primeiras declarações devem ser levadas com precaução e deixam em aberto uma série de questões que Salah Abdeslam vai ter de clarificar.

O Procurador de França revelou este sábado que Salah Abdeslam admitiu que deveria ter participado nos atentados de 13 de novembro em Paris como bombista suicida, mas que à última hora terá desistido e abandonado a missão. François Molins avisa que estas declarações devem ser interpretadas “com cautela” e que o suspeito agora detido na Bélgica deve explicar-se à justiça francesa após cumprida a extradição já solicitada às autoridades belgas visto tratar-se de um cidadão francês acusado de um crime grave em território francês e alvo de um mandado de captura europeu.

“Salah Abdeslam admitiu este sábado, no interrogatório perante os procuradores belgas, que — e vou citar — ‘ele queria fazer-se explodir no Estádio de França’, mas —- e cito outra vez — ‘fez marcha atrás’. Estas primeiras declarações devem ser levadas com precaução e deixam em aberto uma série de questões que Salah Abdeslam vai ter de clarificar”, perspetivou o “súper procurador”, como é conhecido o responsável francês.

(François Molins confirma que Salah Abdeslam “se quis fazer expldir no Est´dio de França.”)

François Molins admite que o processo de extradição de Salah Abdeslam poderá demorar até 3 meses devido a todas burocracias necessárias entre os sistemas judiciais belgas e franceses, já incluindo também o provável recurso a apresentar pelo acusado perante a esperada resposta positiva de Bruxelas a Paris.

O suspeito dos atentados de Paris está a ser representante legalmente por Sven Mary. O advogado confirmou aos jornalistas que o cliente recusa a extradição para França e justificou com o processo de investigação também em curso na Bélgica e que “deve ser resolvido antes”. “Salah Abdeslam tem de se explicar e a extradição para França deve ser suspensa durante o decurso da investigação na Bélgica”, acrescentou o representante do acusado.

Salah Abdeslam já foi transferido, entretanto, para um estabelecimento prisional de Bruges, cerca de 100 quilómetros a ocidente de Bruxelas. A prisão preventiva do suspeito foi prolongada por mais 5 dias e deverá continuar a ser renovada. O alegado terrorista será mantido, para já, num regime de segurança “individual e particular”, adianta os meios de comunicação belgas.

Ao longo do dia de sábado, Salah Abdeslam foi levado duas vezes à presença do juiz de instrução belga para ser interrogado. Pelo meio terá estado sob detenção num hospital de Bruxelas devido ao ferimento numa perna que sofreu na sequência da operação policial de sexta-feira em que acabou capturado.

(Suspeito dos ataques de Paris, Abdeslam levado para prisão de Bruges e planeia lutar contra a extradição para França.”)