Última hora

Última hora

Cartunista belga Cécile Bertrand, convidada de honra do Cartoon Xira

Em leitura:

Cartunista belga Cécile Bertrand, convidada de honra do Cartoon Xira

Tamanho do texto Aa Aa

A exposição Cartoon Xira, em Portugal, dá a conhecer os melhores desenhos de 2015, no universo do cartoon nacional. Este ano, a convidada de honra do

A exposição Cartoon Xira, em Portugal, dá a conhecer os melhores desenhos de 2015, no universo do cartoon nacional. Este ano, a convidada de honra do evento é Cécile Bertrand. A cartunista belga foi a única mulher a ocupar o lugar de caricaturista editorial num diário francófono.

Point of view

É extremamente importante termos uma mulher, para dar a visão feminina da sociedade.

A câmara de Vila Franca de Xira aprovou a escolha do curador do evento, o cartunista António.

“É extremamente importante termos uma mulher, para dar a visão feminina da sociedade, em toda a sua expressão. Eu acho que, a par e passo, a mulher vai conquistando o seu espaço que naturalmente a sociedade tem que lhe dar. Mas, ainda há um trabalho profundo a fazer, que está muito retratado no trabalho que a Cécile aqui nos apresenta”, sublinhou Alberto Mesquita, presidente da câmara de Vila Franca de Xira.

O Cartoon Xira apresenta uma retrospetiva da obra da cartunista belga. Nos últimos 25 anos, Cécile Bertrand tem denunciado, com humor e ironia, as desigualdades entre homens e mulheres.

“Em pequena, já achava injusto ter de colocar as pernas juntas em vez de as cruzar ou de ficar de pernas abertas, o que era mal visto. Ou seja, os meninos podiam fazer tudo, mas nós não”, contou Cécile Bertrand.

A desenhadora belga começou a carreira como ilustradora de livros infantis. Após a queda do muro de Berlim, lançou-se nas caricaturas políticas para a imprensa, um universo até então tipicamente masculino.

Na exposição principal do Cartoon Xira, o público pode seguir a atualidade de 2015, através dos desenhos publicados na imprensa portuguesa. Cristina é a única cartunista portuguesa.

“Há muitas mulheres ilustradoras, extraordinárias mas, de facto, do ponto de vista do comentário político, chamemos-lhe assim, não há mais. Também não há muitos locais onde publicar. Os jornais estão a fechar… portanto, a dificuldade não é ser mulher cartunista é ser cartunista ‘tout court_”, sublinhou a desenhadora portuguesa.

Com a crise que afeta a imprensa, coloca-se o problema da remuneração dos cartunistas. Para António, a Internet não é uma alternativa viável.

“Pode ser um complemento mas não uma alternativa porque normalmente a internet não paga. Não paga ou paga muito mal. Ela é subsidiária da imprensa em papel. Portanto, eu acredito que a Internet pode ser boa para muitas coisas, pode ser boa para divulgar, para difundir e mesmo para apresentar alguns cartoons mas não é uma alternativa”, considerou o o cartunista português e curador da exposição.

A 17ª edição do Cartoon Xira reúne onze desenhadores portugueses: António, Cristina, Bandeira, Brito, Carrilho, Cid, Gargalo, Gonçalves, Maia, Monteiro e Rodrigo.

O público vai reencontrar os grandes temas que marcaram 2015, como o drama dos refugiados, a mudança de governo em Portugal, a crise grega e os atentados de Paris.

A exposição pode ser visitada até 8 de maio, no Celeiro da Patriarcal, em Vila Franca de Xira.