Última hora

Última hora

13 milhões de pessoas terão de mudar de território devido ao aquecimento global

Em leitura:

13 milhões de pessoas terão de mudar de território devido ao aquecimento global

Tamanho do texto Aa Aa

Nunca tinha feito tanto calor num mês de fevereiro, o recorde foi batido. As consequências da subida de temperatura sentem-se a nível global. Na Nova

Nunca tinha feito tanto calor num mês de fevereiro, o recorde foi batido. As consequências da subida de temperatura sentem-se a nível global. Na Nova Zelândia, o Glaciar Franz Josef tem vindo a perder gelo e tornou-se demasiado perigoso para os numerosos turistas que chegam todos os anos para realizar escaladas.

“Em 2008, quando cheguei aqui, o glaciar cobria este rochedo e media vários metros, 10 ou 20 metros, talvez mais, acima da minha cabeça. Ficava sentado debaixo de um volume de gelo. Mas depois começou a encolher rapidamente e perdeu espessura, o que levou a um rápido derretimento,” afirma o Diretor Distrital de Operações do Departamento de Conservação da Nova Zelândia, wayne Costello.

Um estudo de 2014 indica que desde 1800, o glaciar perdeu vinte por cento do gelo.

“Sabemos que os glaciares em todo o mundo, incluindo o glaciar Glaciar Franz Josef, reagem à subida da temperatura e derretem-se. Além disso, temos também as variações regionais de temperatura. A longo prazo, a perspetiva é de uma acentuada redução do glaciar. Desde 1800, que se sente o impacto da mudança da temperatura,” considera a investigadora da Universidade de Canterbury, Heather Purdie.

As mudanças climáticas têm um impacto direto na natureza e nas atividades humanas.

Um estudo recente indica que em 2100, mais de 13 milhões de pessoas terão de abandonar o território onde vivem devido à subida do nível do mar. Os investigadores calculam que daqui a 85 anos o nível do mar deverá subir 1,8 metros nos Estados Unidos.

Em certas regiões, o impacto já se faz sentir.

Uma pequena comunidade indígena (Biloxi-Chitimacha-Choctaw) no litoral da
Louisiana teve de ser deslocada depois de perder quase todos os terrenos. É a primeira vez nos Estados Unidos que uma comunidade inteira teve de ser
realojada por causa da subida do nível do mar.

“Acho que temos de aprofundar este estudo, realizar outro. Perceber qual é, atualmente, o impacto da subida do nível do mar nas frequentes inundações costeiras. Isso dá aos decisores políticos um pouco de sustentação para pensarem como realizar os planos de mitigação, a construção de infraestruturas e, basicamente, educar as pessoas, sensibilizar, fazer com que tudo funcione em conjunto,” declarou o Professor da Universidade norte-americana de Georgia, Deepak Mishra.

Com localidades costeiras densamente povoadas, Florida enfrenta o maior risco: 80% da população de três condados pode vir a ser deslocada (Condado de Monroe da Florida, Hyde da Carolina do Norte e Tyrrell).

Na Cimeira do Clima de Paris, em dezembro, os governos concordaram em limitar o aumento da temperatura global a 2 graus Celsius acima da temperatura da época pré-industrial e prosseguir os esforços para mantê-lo em 1,5 graus Celsius.

Os líderes mundiais terão de confirmar o compromisso de combater o
aquecimento global, através da assinatura do acordo de Paris numa cerimónia que vai acontecer nas Nações Unidas em abril.