Paquistão: Pelo menos 65 mortos e 300 feridos em atentado suicida em Lahore

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com EFE, LUSA
Paquistão: Pelo menos 65 mortos e 300 feridos em atentado suicida em Lahore

<p>Pelo menos 65 pessoas morreram num atentado suicida que teve lugar este domingo na cidade de Lahore, no Paquistão. </p> <p>Segundo um porta-voz da polícia local, “um suicida fez explodir as bombas que transportava no parque Gulshan-e-Iqbal, perto de uma zona infantil, por volta das 19:00 horas”, (15 horas em Lisboa e Luanda).</p> <p>O Ataque foi reivindicado pelo movimento Jamaat-ul-Ahrar, uma fação dos Talibã no Paquistão. </p> <p>Segundo Ehsanullah Ehsan, porta-voz dos jihadistas “o alvo eram cristãos”.</p> <p>“Queremos que o Primeiro-ministro Nawaz Sharif receba esta mensagem. Chegámos a Lahore. Ele pode fazer o que quiser, mas não conseguirá deter o movimento.Continuaremos com estes ataques.” </p> <p>O parque Gulshan-e-Iqbal tem uma zona de atividades para crianças, e que na altura da explosão estava cheio de famílias que ali passavam o fim da tarde.</p> <p>O governo da província de Punjab, de que Lahore, a segunda maior cidade do Paquistão, é a capital, declarou o estado de emergência em todos os hospitais da cidade. </p> <p>Todos os parques foram fechados por motivos de segurança, assim como as principais zonas comerciais da cidade. Partes do centro de Lahore rapidamente ficaram desertas. </p> <p>Os ataques dos militantes jihadistas no Paquistão têm feito muitas vítimas nas comunidades cristãs e outras minorías religiosas na última década. A comunidade cristã acusa o governo de pouco ou nada fazer para sua proteção.</p> <p><strong>Estados Unidos condenam atentados</strong></p> <p>Os Estados Unidos, um dos mais importantes aliados do Paquistão, condenou rapidamente o ataque.</p> <p>“Os Estados Unidos estão solidários com o povo e com o Governo do Paquistão durante estes momentos difícieis,” disse o porta-voz da Casa Branca, Ned Price. </p> <p>O Paquistão é uma potência nuclear com 190 milhões de habitantes e sofre com os rebeldes jihadistas próximos dos Talibã, com ondas de crime organizado e com violência entre as diferentes comunidades.</p> <p>A província do Punjab é a maior, a mais rica e, tradicionalmente, a mais estável do Paquistão.</p>