Última hora

Última hora

Conflito de Nagorno-Karabakh: Rússia apela a cessar-fogo e lança aviso à Turquia

Três dias depois do retomar do conflito armado no enclave de Nagorno-Karabakh entre separatistas arménios e forças militares do Azerbaijão, a Rússia

Em leitura:

Conflito de Nagorno-Karabakh: Rússia apela a cessar-fogo e lança aviso à Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

Três dias depois do retomar do conflito armado no enclave de Nagorno-Karabakh entre separatistas arménios e forças militares do Azerbaijão, a Rússia reassumiu um papel mais ativo na tentativa de serenar os ânimos na região. Através do responsável diplomático Sergei Lavrov, o Kremlin apelou ao retomar do cessar-fogo e deixou um aviso à Turquia, cujo presidente fez saber manter-se ao lado do Azerbaijão neste conflito.

“Estamos muito preocupados e sublinhamos a mensagem expressa pelo presidente da Rússia da necessidade de ser retomado, o mais breve possível, o cessar-fogo na região. Não sei quel tem sido o papel de Ancara, mas será bom para todos, incluindo para a Turquia, que Ancara se concentre em deixar de apoiar o terrorismo”, afirmou Lavrov.

(O Presidente da Turquia diz que Nagorno-Karabakh será um dia parte do Azerbaijão.)

O Ministro dos Negócios Estrangeiros russo falou esta segunda-feira com vários altos responsáveis internacionais, incluindo os homólogos alemão, Frank Walter Steinmeier, e dos Estados Unidos, John Kerry, sobre o conflito de Nagorno-Karabakh.

“Eles falaram hoje (4 de abril), via telefone e debateram esforços para assegurar um fim imediato para a violência espoletada na linha de conflito de Nagorno-Karabakh e para encorajar tanto a Arménia como o Azerbaijão para retomarem as conversações patrocinadas pela Organização para a Segurança e Cooperaçao na Europa”, afirmou Mark Toner, porta-voz do Departamento de Estado norte-americano.

(Joe Biden: “Como já disse aos presidentes Aliyev [Azerbaijão] e Sargsyan [Arménia], um acordo compreensivo em Nagorno Karabakh é crítico para a estabilidade, segurança e prosperidade.”)

Durante o fim-de-semana, o Presidente da Turquia assegurou que vai manter-se ao lado do Governo de Baku neste conflito. “A Turquia sempre esteve ao lado do Azerbaijão desde o princípio do conflito e assim vai continuar”, afirmou Recep Tayyp Erdogan, numa declaração denunciada pelo governo arménio como um incentivo aos planos militares agressivos azeris.

Nagorno-Karabach é um enclave de maioria arménia autoproclamado como república de forma unilateral, e não reconhecida, pela maioria arménia que ali vive, com apoio do governo de Erevan. O território situa-se numa região montanhosa no leste do Azerbaijão.

(Porque estão arménios e azeris a combater em Nagorno-Karabakh?)

O conflito vem dos tempos da União Soviética, mas tem raízes mais ancestrais, opondo cristãos arménios a muçulmanos de influência turca e persa. Há duas décadas foi assinado um cessar-fogo.

Sábado reacenderam-se os confrontos armados, com acusações de parte a parte sobre quem rompeu primeiro as tréguas. Três dias depois, o número de mortos agrava-se, sem que exista ainda um número preciso e confirmado de forma imparcial e oficial.