Última hora

Última hora

Documentos do Panamá: Presidente ucraniano nega ter violado a lei

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, desmente que tenha violado a lei ucraniana ou as leis internacionais. O chefe de Estado ucraniano reagiu

Em leitura:

Documentos do Panamá: Presidente ucraniano nega ter violado a lei

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, desmente que tenha violado a lei ucraniana ou as leis internacionais.

O chefe de Estado ucraniano reagiu, através do Twitter, à notícia de que terá registado uma empresa num paraíso fiscal em 2014, no auge da guerra contra os separatistas pró-russos.

Poroshenko não nega a existência da empresa, mas afirma não ter cometido infrações à lei. No parlamento já há quem apele à destituição do presidente ucraniano.

A investigação internacional sobre os documentos desviados da firma panamiana Mossack Fonseca revelou que Petro Poroshenko registou uma empresa nas Ilhas Virgens britânicas, tendo omitido a sua existência nas declarações de rendimento.

Os documentos revelados pela investigação do Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação envolvem chefes de Estado, políticos, banqueiros e VIPs de todo o mundo num imenso esquema de corrupção com recurso a paraísos fiscais.

Trata-se da maior fuga de documentos da história, cerca de 11,5 milhões de ficheiros (2,6 terabytes de dados) desviados da base de dados da empresa de gestão de fortunas e apoio jurídico Mossack Fonseca, com sede no Panamá, uma firma de advogados que cria empresas offshore, que revelam os estratagemas usados por líderes mundiais e milionários para fugir ao fisco.