Última hora

Última hora

Os destaques da Semana da Música de Talin

Em leitura:

Os destaques da Semana da Música de Talin

Tamanho do texto Aa Aa

Durante uma semana, a capital da Estónia viveu ao ritmo da música. Talin organiza há oito anos um evento anual dedicado aos vários géneros musicais

Durante uma semana, a capital da Estónia viveu ao ritmo da música. Talin organiza há oito anos um evento anual dedicado aos vários géneros musicais, da pop, ao metal, dos ritmos de dança, às propostas de vanguarda. No total, o público pôde escolher entre 250 concertos de artistas de 35 países.

O concerto da banda britânica The Membranes foi um dos destaques da edição 2016. O grupo de música underground e post-punk causou sensação ao atuar com coro feminino Sireen.

“A ideia de tocarmos com o coro surgiu no ano passado depois de termos assistido a concerto das Sireen na última edição da semana da música de Talin. O concerto foi fascinante. As vozes soavam maravilhosamente bem. Pensei que funcionaria bem com a nossa música porque são dois estilos opostos, o que funciona sempre do ponto de vista musical”, contou John Robb, vocalista dos The Membranes.

O último álbum da banda britânica intitula-se “Dark Matter/ Dark Energy” e foi lançado em 2015. O grupo atua em Londres a 3 de junho.

A artista de jazz estónia Maria Faust dirigiu o grupo Sacrum Facere e apresentou canções inspiradas no folclore da Estónia

“A expressão ‘Sacrum Facere’ significa o sacrifício das almas humanas. O meu álbum retrata mulheres que foram sacrificadas ao longo da história. E esses sacríficos continuam. Todas as minhas canções falam das mulheres. As mulheres têm histórias muito próprias”, frisou Maria Faust.

Os Trad.Attack! são uma das grandes referências da cena folk da Estónia. Os músicos que compõem a banda atuaram juntos pela primeira vez em 2014.

“Decidimos juntar-nos, apesar de cada um de nós ter outras bandas, porque com este grupo podemos tocar o que quisermos. Não tocamos para o público, tocamos para nós próprios, é como uma jam session“, disse Sandra Sillamaa, uma das instrumentistas.

“Durante os concertos, passamos gravações históricas de música estónia em loop. Usamos instrumentos estranhos como a gaita-de-foles estónia, o berimbau e apitos. Tocamos também guitarra e bateria”, contou Jalmar Vabarna, um dos elementos do grupo.

A música clássica é outro dos pontos fortes da programação. O maestro de origem estónia Kristjan Järvi dirigiu um concerto com uma orquestra de câmara e um DJ.

“O ‘Concerto for turntables’ é uma composição escrita de forma clássica que inclui elementos eletrónicos. A obra é tocada pela orquestra e pelo DJ mas é mais do que a junção de dois universos. Graças ao ritmo ao movimento e à respiração atuamos em conjunto como uma só banda”, contou o maestro.

A oitava edição da semana da música de Talin, decorreu entre 28 de março e 3 de abril, na capital da Estónia.