Última hora

Última hora

Panama Papers: Mais 240 portugueses implicados enquanto polícia salvadorenha faz buscas à Massack-Fonseca

O “Expresso”, na edição deste fim de semana apresenta uma nova lista com 240 nomes de portugueses citados nos ‘Panama Papers’ entre eles Manuel

Em leitura:

Panama Papers: Mais 240 portugueses implicados enquanto polícia salvadorenha faz buscas à Massack-Fonseca

Tamanho do texto Aa Aa

O “Expresso”, na edição deste fim de semana apresenta uma nova lista com 240 nomes de portugueses citados nos ‘Panama Papers’ entre eles Manuel Vilarinho, o antigo presidente do Benfica e Luís Portela, antigo presidente da farmacêutica Bial, este segundo não nega a existência de uma empresa presente no Panamá. O jornal escreve ainda que o “Panamá ajudou a esconder um ‘saco azul’ do BES durante 21 anos” e que “pela Espírito Santo Entreprise terão passado mais de 300 milhões de euros”.

O gestor de fortunas português Jorge Cunha, que “admite contactos com um representante de Isabel do Santos”, filha do Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos e que ex-ministros portugueses “também fazem parte da sua lista de clientes”, segundo este semanário.

O jornal destaca igualmente o possível envolvimento do gestor de fortunas português Jorge Cunha, que “admite contactos com um representante de Isabel do Santos”, filha do Presidente de Angola. Há ex-ministros portugueses que podem estar envolvidos no escândalo porque “fazem parte da sua lista de clientes”.

Polícia de El Salvador faz buscas à Massack-Fonseca

Em El Salvador a polícia realizou buscas aos escritórios da Massack-Fonseca, à procura de ligações a cidadãos salvadorenhos:

“Quero pedir às pessoas, aos advogados e aos gabinetes jurídicos que possam ter prestado serviços a estas empresas, de não cometerem erros. Nós vamos chamar-vos e vamos pedir-vos informações, vamos convocar-vos. Peço que não cometam o erro de ocultar informações”, afirmou o procurador Douglas Meléndez.

São vários os nomes citados nos “Panama Papers”. Nomes de vários espectros da sociedade, de cineastas a empresários passando por políticos como Vladimir Putin ou o Primeiro-ministro britânico, que acabou por assumir ter tido ações de um fundo de investimento offshore detido pelo pai.

E nem a FIFA, que acaba de passar pelo momento mais negro da sua história, ficou de fora. A polícia suíça fez buscas na sede do órgão máximo do futebol depois de ter surgido a notícia de que o recém-eleito presidente estaria envolvido no escândalo dos “Panama Papers”. Gianni Infantino já negou qualquer envolvimento nesta questão.
Michel Platini e Lionel Messi foram também implicados.