Última hora

Última hora

Hawking e Zuckerberg querem conhecer o sistema solar vizinho

Em leitura:

Hawking e Zuckerberg querem conhecer o sistema solar vizinho

Tamanho do texto Aa Aa

O futuro da exploração interestelar pode assemelhar-se a um aparelho, mais pequeno do que um iPhone, que contém câmaras, propulsores de fotões

O futuro da exploração interestelar pode assemelhar-se a um aparelho, mais pequeno do que um iPhone, que contém câmaras, propulsores de fotões, fontes de alimentação de navegação e equipamentos de comunicação.

Yuri Milner, um empresário multimilionário russo, anunciou um plano para entender melhor o cosmos, enviando milhares de minúsculas naves para o sistema solar vizinho, o Alpha Centauri, a mais de 4 anos-luz de distância (o equivalente a 40 triliões de quilómetros). Alimentadas pela energia de um laser enorme, situado na Terra, as naves espaciais equipadas com velas solares atingem cerca de um quinto da velocidade da luz. Os veículos espaciais deverão demorar 20 anos a chegar. Vão recolher dados que depois enviam para a Terra.

O projeto “Breakthrough Starshot”, com um custo de mais de 80 milhões de euros, é apoiado por pessoas como o físico Stephen Hawking e o dono do Facebook, Mark Zuckerberg.

“O projeto pretende provar o conceito de alta velocidade das nano naves e estabelecer as bases para uma eventual viagem a Alpha Centauri. O custo final deste empreendimento será equivalente a colaborações científicas internacionais, como por exemplo o CERN”, afirma Yuri Milner.

O projeto pode demorar anos a ser desenvolvido mas baseia-se em tecnologia já disponível, como explica Hawking: “Os micro veículos, movidos a luz, são uma tecnologia pragmática hoje em dia. A fusão e a anti-matéria continuam no futuro longínquo”.
Quando questionado sobre a probabilidade de encontrar inteligência extraterrestre nos próximos 20 anos, o físico responde: “A probabilidade é baixa. Provavelmente.”

A equipa pretende enviar uma nave espacial convencional com milhares de nano naves para órbita e depois lançá-las uma a uma no espaço. Os cientistas esperam que os micro veículos voem a 20 por cento da velocidade da luz, mil vezes mais depressa do que uma nave especial convencional. O objetivo é encontrar um planeta com as características necessárias para haver vida. Até agora não foi descoberto nenhum no Alpha Centauri, mas os especialistas estão otimistas.