Última hora

Última hora

Reino Unido: Corbyn e Cameron juntos pelo SIM à UE

O líder do partido trabalhista britânico abandonou, esta quinta-feira, décadas de reservas sobre o projeto europeu, para apoiar o SIM à permanência

Em leitura:

Reino Unido: Corbyn e Cameron juntos pelo SIM à UE

Tamanho do texto Aa Aa

O líder do partido trabalhista britânico abandonou, esta quinta-feira, décadas de reservas sobre o projeto europeu, para apoiar o SIM à permanência do Reino Unido na União Europeia.

A dois meses do referendo e a um dia do início da campanha, esta sexta-feira, Jeremy Corbyn, não deixou de recordar as razões pelas quais votou, no passado, pelo Não à CEE e se opôs ao tratado de Maastricht.

“Ao longo dos anos, eu e muitos outros fomos vozes críticas de muitas das decisões tomadas pela União Europeia e eu mantenho as críticas à falta de responsabilidade democrática face às pressões institucionais para desregular ou privatizar serviços públicos, é por isso que a Europa precisa de mudar. Mas esta mudança só é possível se trabalharmos dentro da UE para concretizá-la”, declarou Corbyn.

Corbyn junta-se assim ao movimento “Britain Stronger in Europe”, encabeçado pelo rival e primeiro-ministro David Cameron, na campanha pelo SIM.

No campo adversário, “Vote leave”, liderado pelo presidente da Câmara de Londres, Boris Johnson, encontram-se cinco ministros do governo.

As últimas sondagens apontavam um empate a 39% entre o SIM e o NÃO, causado pela queda de popularidade de Cameron.

As principais organizações financeiras, do FMI, ontem, ao Banco de Inglaterra, hoje, já alertaram para os riscos de uma saída de Londres.

Christine Lagarde evocou hoje a metáfora do “casal de longa data”, “que prefere uma boa discussão à ruptura”.