Última hora

Última hora

Documentário "Fuocoammare" sobre migrantes em Lampedusa apresentado na Grécia

Em leitura:

Documentário "Fuocoammare" sobre migrantes em Lampedusa apresentado na Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

Gianfranco Rosi esteve na Grécia para apresentar o documentário “Fuocoammare”. O realizador italiano passou mais de um ano e meio em Lampedusa, para

Gianfranco Rosi esteve na Grécia para apresentar o documentário “Fuocoammare”.

Point of view

Os habitantes de Lampedusa são pescadores que aprenderam a aceitar o que vem do mar. É exemplo extraordinário. Temos de aprender a ser um pouco como os pescadores. O problema dos migrantes é muito complicado. Não pode ser resolvido de forma separada por cada país.

O realizador italiano passou mais de um ano e meio em Lampedusa, para conhecer a vida dos habitantes e das centenas de pessoas que todas as semanas chegam à ilha do Mediterrâneo.

O documentário arrecadou vários prémios internacionais. Em Berlim, a obra venceu o Urso de Ouro, os prémios do júri ecuménico e da Amnistia Internacional.

“Penso que um filme ou um livro não podem mudar o mundo mas tenho esperança de que este filme possa sensibilizar as pessoas em relação às migrações. Acima de tudo quero promover a ideia de que estas pessoas não são números, são pessoas, são humanos com direitos e sentimentos”, frisou Gianfranco Rosi.

“Os habitantes de Lampedusa são pescadores que aprenderam a aceitar o que vem do mar. É exemplo extraordinário. Temos de aprender a ser um pouco como os pescadores. O problema dos migrantes é muito complicado. Não pode ser resolvido de forma separada por cada país. Lesbos e Lambedusa são duas ilhas, que podemos descrever como o bastião da Europa e um símbolo forte da migração”, considerou o cineasta.

“Na história há exemplos que nos mostram que as barreiras e os muros não resistem ao poder do tempo. Por isso, eu acredito que vão cair, Não tenho medo dessas barreiras físicas mas sim das barreiras mentais da Europa atual, especialmente das barreiras construídas pela polícias dos vários países. Elas representam a derrota da política europeia comum”, frisou o realizador italiano.

“Fuocoammare” chega às salas de cinema europeias nos próximos meses e ainda não tem data de estreia anunciada em Portugal.