Última hora

Última hora

Japão: Novo sismo agrava número de mortos e feridos

Na sequência dos dois grandes sismos uma pequena erupção ocorreu no Monte Aso na ilha de Kyushu, este sábado, sendo visível uma coluna de fumo de mais de 100 metros.

Em leitura:

Japão: Novo sismo agrava número de mortos e feridos

Tamanho do texto Aa Aa

As operações de resgate aceleram no sudoeste do Japão após um segundo terramoto de 7.3 no dia seguinte ao principal sismo de quinta-feira à noite.

De acordo com o último balanço pelo menos 30 pessoas morreram, número ainda provisório que deverá aumentar. Haverá ainda a registar mais de mil feridos.

20.000 militares redobram esforços na região de Kyushu para ajudar a polícia e os bombeiros a localizar sobreviventes entre os escombro. Cerca de 200.000 domicílios estão sem energia elétrica.

Em Kumamoto, a cidade mais fustigada, milhares de pessoas foram abrigadas em ginásios de escolas.

“Na noite de anteontem, eu fiquei no ginásio e na noite passada, estava a dormir quando o abalo aconteceu por volta da meia-noite. Os edifícios escolares e ginásios também foram destruídos”.

“Os abalos secundários continuam, eu não posso nem começar a pensar no que vem pela frente”.

Este novo sismo, seguido de várias réplicas menos intensas, é o mais forte registado desde uma série de mais de 100 abalos que sacudiram a ilha de Kyushu, particularmente a cidade de Kumamoto, desde quinta-feira à noite.

Localizado na junção de quatro placas tectónicas, o Japão sofre a cada ano cerca de 20% dos terramotos mais fortes registados no mundo.

A terra treme e o vulcão do monte Aso acorda.

Uma pequena erupção ocorreu no Monte Aso, neste sábado, após um forte terremoto na área. O fumo atinge uma altura de 100 metros. A Agência Meteorológica do Japão manteve o nível de alerta a 2 numa escala de 1 a 5.

Localizado em Kumamoto, na ilha de Kyushu, no sudoeste do país, a cerca de mil quilómetros a sudoeste de Tóquio, o monte Aso tem cinco picos, uma altura máxima de 1.592 metros de altura e uma caldeira (parte central) com um perímetro de 120 quilómetros, que fazem dele o maior vulcão do Japão e um dos maiores do mundo.

Em janeiro de 2014, o Aso registou a primeira erupção em três anos. Em 1979, outra erupção do Aso causou três mortos e uma dezena de feridos.

O Japão está situado no designado Anel de Fogo do Pacífico e tem 110 vulcões ativos.