Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J30: Benfica agarrado à liderança, Sporting não descola

"Águias" respondem com jogo quanto baste à vitória magra dos "leões" em Moreira de Cónegos. FC Porto volta a golear. Guimarães chega aos 10 jogos sem ganhar.

Em leitura:

Liga Portuguesa, J30: Benfica agarrado à liderança, Sporting não descola

Tamanho do texto Aa Aa

“Águias” respondem com jogo quanto baste diante do Setúbal à vitória magra dos “leões” em Moreira de Cónegos. FC Porto voltou a golear. Guimarães chega aos 10 jogos sem ganhar.

A receção do Benfica ao Vitória de Setúbal abriu com um balde de água fria após o voo da águia. Gorupec aproveitou o espaço concedido por Eliseu e cruzou da direita para um dos golos mais rápidos do campeonato. André Claro abriu o marcador aos 13 segundos para os sadinos.

Sem se poder dar ao luxo de não ganhar, sob prejuízo de perderem a liderança para o Sporting, os bicampeões reagiram de pronto. Ricardo começou a brilhar na baliza do Vitória. Resistiu até aos 19 minutos: cruzamento de Eliseu, Gaitán desvia e Jonas marcou à boca da baliza.


Aos 24 minutos, reviravolta conseguida por Jardel após canto de Gaitán. Em vantagem, as “águias” baixaram o ritmo e foi a controlar em vantagem sem correr riscos que chegaram ao intervalo.


Foi sob chuva que o segundo tempo começou. Os sadinos colocaram mais pressão sobre o último reduto do Benfica. Aos 60 minutos, valeu Ederson a opor-se a remate de Ruca.

Rui Vitória trocou Gaitán por Carcela e Benfica quase marca em lance de laboratório, com Fejsa a cabecear para boa defesa de Ricardo. Makuszewski substituiu o lesionado Vasco Costa nos sadinos. Samaris rendeu Fejsa nos encarnados. Quim Machado apostou em Miguel Lourenço.


O Setúbal pareceu ficar melhor após as alterações. Rui Vitória trocou Mitroglou pelo “amuleto” mexicano: Jiménez. Nos descontos, um atraso mal medido de Pizzi isolou Arnold, Ederson reagiu rápido . Ainda houve uma recarga, mas ao lado. O Benfica venceu mais um jogo sofrível e segurou a liderança, com mais dois pontos que o Sporting.


Ficha de jogo

Estádio da Luz, Lisboa (54.855 espetadores)
Árbitro: Jorge Ferreira (Braga).

Benfica: Ederson; Nélson Semedo, Lindelöf, Jardel e Eliseu; Fejsa (Samaris, 70’); Pizzi, Renato Sanches e Gaitán (Carcela, 62’); Mitroglou (Jiménez, 82’) e Jonas (A).
Treinador: Rui Vitória.

V. Setúbal: Ricardo; Willian, Venâncio e Tiago Valente; Gorupec, Ricardo Dani, Paulo Tavares (Miguel Lourenço, 71’, A) e Ruca; Vasco Costa (Makuszewski, 68), Arnold Issoko (Mansour, 92’) e André Claro.
Treinador: Quim Machado.

Golos: Jonas (19’) e Jardel (24’); André Claro (01’)


Sporting vence com golo controverso


Fiel aos princípios que quer impor em Alvalade, Jorge Jesus voltou a apresentar um “11” sem extremos e com 4 médios interiores. Voltou a confirmar-se não ser a melhor tática para esta equipa leonina, que “exige” mais velocidade nos flancos.

O Moreirense, para além de 3 lesionados e um castigado (Vítor Gomes), não pôde contar com Iuri Medeiros e João Palhinha devido a uma regra sem sentido da Liga portuguesa: a impossibilidade de jogadores emprestados defrontarem o clube de origem.

Os “leões” entraram mais fortes e aos 16 minutos chegaram ao golo, no que parece ser um erro da equipa de arbitragem: Slimani aparenta estar adiantado no momento do cruzamento de Schelotto. Apesar das ausências, o Moreirense reagiu e colocou Jorge Jesus em sobressalto.


No Sporting, apenas João Mário conseguia dar alguma ordem ao jogo da equipa, mas sem grande consequência. A equipa visitante revelava dificuldades e dava esperança aos anfitriões.

À entrada para a segunda parte, começou por ser Rui Patrício a destacar-se após remate de Fábio Espinho. O Sporting tentava controlar o jogo e guardar a vantagem. Aos 60 minutos voltou a entrar no jogo: Slimani cruzou e Teo cabeceou ao lado.


Os treinadores mexeram. Miguel Leal reforçou o ataque com Boateng. Jesus trocou de lateral-esquerdo. O jogo manteve-se dividido. Jesus chamou Gelson ao jogo. O treinador do Sporting parecia querer mais velocidade na frente.


Fati reforçou a dianteira dos “cónegos”. Jesus tirou um avançado (Téo) e meteu mais um defesa (João Pereira), apostou na posse de bola e segurou os 3 pontos, colocando pressão sobre o líder Benfica que apenas jogaria 2 dias depois.


Ficha de jogo

Com. J. A. Freitas, Moreira de Cónegos (4840 espetadores).
Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal).

Moreirense: Stefanovic; Pedro Coronas, Marcelo Oliveira, André Micael (A) e Evaldo; Alan Schons e Filipe Gonçalves; Nildo Petrolina (Fati, 84’), Fábio Espinho e Ernest Ohemeng (Boateng, 65’); Rafael Martins (Patrick, 90’).
Treinador: Miguel Leal.

Sporting: Rui Patrício; Schelotto, Coates (A), Rúben Semedo e Zeegelaar (A, Bruno César, 64’, A); William Carvalho; João Mário, Adrien Silva (A) e Bryan Ruiz (Gelson Martins, 72’); Téo Gutierrez (João Pereira, 89’) e Slimani.
Treinador: Jorge Jesus.

Golo: Slimani (16’).


FC Porto volta a golear

José Peseiro operou uma reviravolta no “11” do FC Porto para a receção ao Nacional da Madeira. Danilo foi central, André Silva foi o ponta de lança e pela primeira vez em quase 5 anos os “dragões” alinharam com 5 portugueses.

Logo aos 2 minutos, Varela pôs o Dragão a festejar com um remate cruzado certeiro. Antes ainda dos 10 minutos, 2-0. Jogada de Corona e assistência para Herrera faturar da meia esquerda, com outro remate cruzado.


O Nacional mostrou-se aos 14 minutos e, aos 20, Casillas teve de se aplicar a remate de longe do egípcio Ali Ghazal.

À meia hora começou a aparecer o Rui Silva, o guarda-redes do Nacional, com uma série de boas intervenções. Ao intervalo, Manuel Machado trocou Ghazal por Luís Aurélio e o médio português entrou em jogo a colocar Casillas a trabalhar.

O FC Porto reagiu e Herrera quase bisou. Manuel Machado apostou no jovem moçambicano Witi Quembo, de 19 anos, para o ataque. Aos 67 minutos, nova assistência de Corona e, desta vez, foi Danilo a faturar de cabeça: 3-0.

O Nacional trocou de avançado: entrou o cabo-verdiano Ricardo Gomes. O FC Porto também: André Silva pelo camaronês Aboubakar. O jovem “dragão” foi muito aplaudido após um jogo prometedor.

Depois, mais uma surpresa: Francisco Ramos, da equipa B, substituiu Sérgio Oliveira.


Aboubakar entrou apostado em mostrar serviço. Após remate forte para mais uma boa defesa de Rui Silva, o camaronês voltou a receber uma bola na área, trabalhou bem sobre a defesa e fez um chapéu ao guarda-redes insular para o 4-0, que selou o marcador.


Com dois golos em cada parte e na noite em que Jorge Nuno Pinto da Costa foi reeleito presidente, o FC Porto voltou a golear, recolocou-se a 10 pontos do Sporting e com soma mais outros 10 que o Sporting de Braga. O Nacional foi apanhado pelo Belenenses a meio da tabela.


Ficha de jogo

Estádio do Dragão, Porto (27.207 espetadores).
Árbitro: Luís Ferreira (Braga).

FC Porto: Casillas; Maxi Pereira, Danilo, Martins Indi e José Angel; Rúben Neves; Corona, Herrera, Sérgio Oliveira (Francisco Ramos, 82’) e Varela (Marega, 86’); André Silva (Aboubakar, 75’).
Treinador: José Peseiro.

Nacional: Rui Silva; João Aurélio, Belkaroui, Rui Correia e Sequeira; Washington, Ali Ghazal (Luís Aurélio, 46’) e Nenê Bonilha; Witi (Campos, 61’), Salvador Agra (Ricardo Gomes, 72’) e Tiquinho Soares.
Treinador: Manuel Machado.

Golos: Varela (02’), Herrera (09’), Danilo (67’) e Aboubakar (85’).


Guimarães em queda livre

O Guimarães visitou o Marítimo, perdeu pela segunda vez consecutiva e somou o 10.° jogo sem ganhar. A expulsão de Henrique aos 12 minutos, deu espaço aos anfitriões. Dois golos de Fransérgio mais um de Djousse permitiram ao Marítimo apanhar os vimaranenses na tabela.


Melhores marcadores


31 golos: Jonas (Brasil, Benfica);
24 golos: Slimani (Argélia, Sporting);
18 golos: Mitroglou (Grécia, Benfica);
15 golos: Bonatini (Brasil, Estoril) e Rafael Martins (Brasil, Moreirense);

No Restelo, Ortuno colocou o Belenenses em vantagem na primeira parte. De penálti, na segunda parte, Rafael Lopes empatou para a Académica. Os estudantes estão a apenas dois pontos dos principais adversários na luta pela permanência.

A jornada 30 abriu sábado, com o empate a zero entre Arouca e Rio Ave, duas equipas a lutar pelo último lugar com acesso às provas europeias e, para já, vantagem dos arouquenses.

Seguiu-se a receção do Estoril ao Boavista. O brasileiro Marion Fernandes entrou aos 83 minutos e cinco minutos depois assinou o golo que valeu 3 pontos aos “canarinhos”, que ainda sonham com a Europa. Os axadrezados mantém-se sob pressão, 2 pontos acima da linha de água.

O domingo abriu com o jogo que mais golos teve na ronda. A jogar em casa, o União da Madeira adiantou-se na primeira parte por Élio Martins e Breitner da Silva. Minhoca reduziu à entrada da segunda parte para o Paços de Ferreira.

Em dois minutos, o nigeriano Shehu viu duplo cartão amarelo e foi expulso. Cícero empatou e Paulo Henrique conseguiu a reviravolta. Apesar da desvantagem numérica, Amílton Silva voltou a empatar para os anfitriões, mas sobre os “90” Diogo Jota confirmou o triunfo forasteiro e mantém os “castores” na luta europeia.

O Sporting de Braga, por fim, voltou segunda-feira dos triunfos. Na receção ao último classificado, os “guerreiros” do Minho abriram cedo o marcador pelo egípcio Ahmed Hassan e, na segunda parte, o sérvio Stojilikovic e o brasileiro Crislan selaram o 3-0 que dão algum conforto aos “arsenalistas” no quarto lugar.

Jornada 30:

Arouca – Rio Ave, 0-0
Estoril – Boavista, 1-0
Moreirense – Sporting, 0-1
Belenenses – Académica, 1-1
Un. Madeira – P. Ferreira, 3-4
Marítimo – V. Guimarães, 3-0
FC Porto – Nacional, 4-0
Sp. Braga – Tondela, 3-0
Benfica – V. Setúbal, 2-1

Jornada 31:

Boavista – Belenenses (22/abr, 20h30)
Académica – FC Porto (23/abr, 16h15)
Sporting – Un. Madeira (18h30)
P. Ferreira – Sp. Braga (20h45)
Marítimo – Arouca (24/abr, 16h00)
Nacional – Moreirense (16h00)
V. Setúbal – Tondela (16h00)
V. Guimarães – Estoril (18h15)
Rio Ave – Benfica (20h30)