Última hora

Em leitura:

Obama reforça apoio a Cameron no chamado "brexit"


Reino Unido

Obama reforça apoio a Cameron no chamado "brexit"

“O Reino Unido será mais forte se permanecer na União Europeia (UE) e isso beneficia os Estados Unidos” – depois de se reunir com David Cameron em Londres, Barack Obama não deixou de expressar a opinião sobre o referendo da permanecia dos britânicos na UE, apesar de fortes criticas de eurocéticos britânicos.

“Os Estados Unidos querem um Reino Unido forte como parceiro e o Reino Unido está na máxima força quando ajuda a liderar uma União Europeia forte. Fazer parte da União Europeia influencia o poder do Reino Unido. Como já disse antes, não acredito que a União Europeia diminui a influência do Reino Unido no mundo, pelo contrário amplia-a”, declarou Obama.

“Estou muito orgulhoso por ter tido a oportunidade de ser primeiro-ministro e estar no jardim da Casa Branca a escutar este homem a dizer que o relacionamento especial entre os nossos países nunca foi tão forte como agora. E eu nunca me senti constrangido em reforçar este relacionamento pelo facto de estarmos na União Europeia”, sublinhou David Cameron.

Em Downing Street, o presidente norte-americano e o primeiro-ministro britânico também afinaram estratégias para a resolução de problemas e crises globais. Grupo Estado Islâmico, Síria, Iraque. Líbia, Ucrânia, crise migratória e também alterações climáticas foram alguns dos temas abordados.

Um dia intenso para Obama que também teve oportunidade de almoçar com a rainha Isabel II no Castelo de Windsor e felicitá-la pelos noventa anos celebrados na quinta-feira.

FBI pagou mais de 1,3 milhões de dólares para debloquear iPhone de atirador de San Bernardino

EUA

FBI pagou mais de 1,3 milhões de dólares para debloquear iPhone de atirador de San Bernardino