Última hora

Última hora

Em leitura:

Molenbeek tem mais que "jihadistas" - Também há arte


le mag

Molenbeek tem mais que "jihadistas" - Também há arte

O bairro de Molenbeek, em Bruxelas, ficou tristemente célebre nos últimos tempos, por ser o berço dos “jihadistas” autores dos atentados em Paris e na capital belga.

Mas o bairro é muito mais que isso. Limpar a imagem negativa é, justamente, um dos objetivos do novo museu de arte que acaba de abrir na zona – o Millennium Iconoclast Museum of Art, instalado numa antiga fábrica de cerveja. A abertura estava inicialmente planeada para o dia seguinte ao dos últimos atentados: “Desde o início, o projeto quer usar a arte como um meio de coesão social. Temos arte contemporânea, que é acessível, já que estes artistas aprenderam a desenvolver um estilo muito extrovertido, direto, empático, brincalhão. Por isso penso que os cidadãos de hoje sentem que devem participar neste tipo de projetos”, diz o diretor do museu, Raphael Cruyt.

Para a primeira exposição temporária neste labirinto de quatro andares, foi escolhida a mostra City Lights, de um conjunto de artistas originários de Brooklyn, em Nova Iorque – Maya Hayuk, Swoon, Momo e o duo Faile. O trabalho agradou aos visitantes, sobretudo pela irreverência.

“City Lights” está patente até ao dia 28 de agosto. O museu espera apresentar duas exposições temporárias por ano, além de uma coleção permanente.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Espanha comemora 400 anos da morte de Cervantes

le mag

Espanha comemora 400 anos da morte de Cervantes