Última hora

Última hora

Relembrar o LuxLeaks

Três homens, acusados de divulgar milhares de documentos confidenciais que revelaram uma enorme rede de fuga aos impostos, por grandes empresas, no

Em leitura:

Relembrar o LuxLeaks

Tamanho do texto Aa Aa

Três homens, acusados de divulgar milhares de documentos confidenciais que revelaram uma enorme rede de fuga aos impostos, por grandes empresas, no Luxemburgo, sentam-se no banco do réus a partir desta terça-feira (26.04.2016). O caso ficou conhecido como LuxLeaks e foi a maior fuga de informação antes dos chamados Panama Papers.

O caso remonta a novembro de 2014 e pôs a descoberto a forma como o país, um pequeno paraíso fiscal, ajudou multinacionais a fugirem aos impostos nos países onde operam.

Governo luxemburguês e empresas envolvidas continuam a defender que não há nada de ilegal nas suas práticas. Um escândalo que acabou por tocar também Jean-Claude Juncker, na altura Presidente do Eurogrupo, à medida que se multiplicavam os nomes envolvidos.

Uma dor de cabeça para o Presidente do Eurogrupo em particular e para as instituições europeias em geral.

Para tentar minorar os danos a União Europeia criou, na altura, uma comissão para analisar a situação.

Quem acabou por enfrentar a barra do tribunal não foram as multinacionais, ou as autoridades luxemburguesas, mas os homens que divulgaram o caso.