Última hora

Última hora

Em leitura:

Xian'er o monge robô


hi-tech

Xian'er o monge robô

O templo budista de Longquan, localizado na periferia de Pequim, decidiu virar-se para as novas tecnologias.

Tem agora um “monge” robô que canta cânticos budistas, responde a comandos de voz, é capaz de responder a 20 questões específicas, e realizar sete tipos diferentes de movimentos.

O “monge” robô é um projeto conjunto entre uma empresa de tecnologia e especialistas em inteligência artificial de algumas das melhores universidades da China. Foi revelado ao público em outubro do ano passado:

“Originalmente este produto é uma combinação entre budismo e ciência. É a demonstração de que a ciência e o budismo não se opõem, nem se contradizem e podem ser combinados e são mutuamente compatíveis”, explica o mestre Xianfan.

O “monge” robô já percorreu, desde outubro, várias feiras internacionais de robótica e certames de inovação na China. Raramente faz aparições públicas no templo de Longquan. Mas quando faz é a atração principal:

“Acho que a impressão que se tem é que um templo, na cultura tradicional, deve ser um lugar sério. Mas ele tem um aspeto muito engraçado e o contraste é enorme. É bonito”, diz Zhao Xian, uma visitante do templo.

“Ele parece muito engraçado e adorável. Vai espalhar o budismo entre mais pessoas que vão ver que ele é muito interessante e fará com que elas queiram, realmente, compreender o budismo”, adianta Michelle Yu, outra turista.

O “monge” robô, de nome Xian’er, tem uma conta oficial numa aplicação de mensagens por internet e já tem alguns seguidores.

Um novo modelo está já a ser desenvolvido com mais funcionalidades.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Digitalizador Luna: Ser ou não ser em 3D

hi-tech

Digitalizador Luna: Ser ou não ser em 3D