Última hora

Última hora

Leicester faz história em Inglaterra

O Leicester é campeão inglês pela primeira vez na sua história. Os “foxes” não puderam festejar em campo, depois de não terem ido além de um empate a

Em leitura:

Leicester faz história em Inglaterra

Tamanho do texto Aa Aa

O Leicester é campeão inglês pela primeira vez na sua história. Os “foxes” não puderam festejar em campo, depois de não terem ido além de um empate a uma bola frente ao Manchester United em Old Trafford, mas no final, isso não passou de um detalhe.

Fizeram-no em frente à televisão a acompanhar a escorregadela do Tottenham frente ao Chelsea mas vai dar ao mesmo. Os “spurs” ainda sonharam, estiveram a vencer por 2-0 em Stamford Bridge mas permitiram o empate do Chelsea.

A igualdade permitiu aos adeptos do Leicester começarem a festejar imediatamente o primeiro título em 132 anos de história.

Claudio Ranieri e companhia conseguiram escrever um final feliz para este grande conto de fadas. O sonho que parecia impossível tornou-se realidade.

Os adeptos do Chelsea acabaram a festejar o desaire dos rivais mas a verdade é que não têm propriamente motivos para sorrir. Pelo menos se compararmos os orçamentos. O onze que tinha garantido o título a temporada passada custou um total de 232 milhões de euros (dados transfermarkt.pt). Este ano voltaram a abrir os cordões à bolsa e sem resultados práticos. Já o Leicester fez a festa com sete vezes menos.

Ases e Azelhas

Aos 64 anos de idade e depois de ter passado por alguns dos maiores clubes do futebol europeu, Claudio Ranieri sagrou-se finalmente campeão pela primeira vez e logo num clube que apenas lhe pediu a manutenção.

Jamie Vardy e Riyad Mahrez andavam perdidos pelas divisões secundárias e chegaram a Leicester a preço de saldo. Esta temporada fizeram toda a diferença no ataque e juntos, levam para já 39 golos apontados na Premier League.

Na defesa, manda o capitão Wes Morgan. O jamaicano ainda não falhou um minuto e pode tornar-se no terceiro jogador de campo a vencer a Premier League como totalista, juntando-se a Gary Pallister no Manchester United em 1992/1993 e John Terry no Chelsea a temporada passada.

Nem só o Leicester esteve em destaque. Mauricio Pochettino fez um trabalho fantástico no Tottenham e ficou a um pequeno passo de levar os “spurs” ao primeiro título desde 1961.