This content is not available in your region

Palestina exige desculpas à Eurovisão

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com EFE, AFP
Palestina exige desculpas à Eurovisão

<p>O festival da canção da Eurovisão já tem a sua polémica do ano. A presente edição que vai decorrer na Suécia suscitou uma onda de protestos depois de ter vindo a público um documento de trabalho que mostrava algumas da bandeiras proibidas no evento, como a da Autoridade Palestiniana, a do País Basco ou do autoproclamado Estado Islâmico.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="pt" dir="ltr">Eurovisão bane bandeiras e põe Palestina e Kosovo ao lado do Estado Islâmico <a href="https://t.co/JRNBHq8eHU">https://t.co/JRNBHq8eHU</a></p>— Diário de Notícias (@dntwit) <a href="https://twitter.com/dntwit/status/726471738746249216">30 de abril de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Os palestinianos sentiram-se ultrajados e pediram que a União Europeia de Radiodifusão (<span class="caps">UER</span>) que se retrate. “Nós apelamos ao presidente da <span class="caps">UER</span>, Jean-Paul Philippot, que recue imediatamente na sua decisão e peça desculpa aos 11 milhões de palestinianos por este erro grave, inaceitável e mesquinho” – declarou o dirigente palestiniano Saeb Erekat.</p> <p>A <span class="caps">UER</span> explicou que o documento em causa não deveria ter sido publicado e recordou que as únicas bandeiras admitidas no concurso são as dos estados membros da <span class="caps">ONU</span>, a da União Europeia e a bandeira arco-íris. A Autoridade Palestiniana tem apenas o estatuto de Estado-observador nas Nações Unidas. A organização do evento pediu desculpa a quem se tenha sentido ofendido.</p>