FMI apela a reforma na política económica da África subsaariana

Access to the comments Comentários
De  Euronews
FMI apela a reforma na política económica da África subsaariana

<p>O Fundo Monetário Internacional antevê que a África subsaariana vai abrandar o crescimento económico este ano para cerca de três por cento, o mais baixo desde 1999. </p> <p>O <span class="caps">FMI</span> defende uma reforma das políticas económicas da região para responder, por exemplo, à prolongada baixa do preços das matérias-primas, que afeta sobretudo Angola e Nigéria, os dois maiores produtores de petróleo da região.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt" align="center"><p lang="en" dir="ltr">Weakening growth in sub-Saharan <a href="https://twitter.com/hashtag/Africa?src=hash">#Africa</a> calls for policy reset. Listen to new <span class="caps">IMF</span> <a href="https://twitter.com/hashtag/podcast?src=hash">#podcast</a> <a href="https://t.co/KOCJRphAFp">https://t.co/KOCJRphAFp</a></p>— <span class="caps">IMF</span> (@IMFNews) <a href="https://twitter.com/IMFNews/status/727491674520346625">3 de maio de 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O surto de ébola é outro dos responsáveis pelo abrandamento económico africano, tendo atingido sobretudo a Guiné, a Libéria e a Serra Leoa, três países agora em recuperação progressiva.</p> <p>A seca tem sido outro dos problemas a afetar o desenvolvimento da África subsaariana. A falta de água está afetar, por exemplo, o crescimento de Moçambique.</p>