Última hora

Última hora

AC/DC em Portugal com Axl Rose: Falta um dia e ainda há bilhetes

Concerto acontece sábado 7 de maio e já esteve esgotado. Esteve. A entrada de Axl Rose para o vaga aberta por Brian Johnson levou a muitas devoluçãos e revendas de ingressos

Em leitura:

AC/DC em Portugal com Axl Rose: Falta um dia e ainda há bilhetes

Tamanho do texto Aa Aa

Diz a lei que a “substituição de artistas principais” é motivo para legitimar a restituição do dinheiro pago pelo bilhete antes do anúncio da alteração. No caso da troca do vocalista de uma banda de música rock, mesmo estando na função há mais de 30 anos, tal não era assim tão claro. Mas esclareceu-se.


A Everything is New (EiN), a promotora do concerto dos AC/DC este sábado (7 de maio) em Portugal — o primeiro da digressão “Rock or Bust” com Axl Rose no lugar de Brian Johnson — concedeu que era uma troca significativa e, a 21 de abril, aceitou devolver o dinheiro dos ingressos a quem estivesse descontente pela troca (publicação de Facebook em baixo). A esta hora, ainda há bilhetes para o concerto deste sábado com o valor unitário de 65 euros.

Os AC/DC e Axl Rose estão em Portugal há vários dias a ensaiar para o reatar da digressão, agora com o vocalista dos Guns’n‘Roses no lugar de Brian Johnson. Pelos canais da EiN nas redes sociais, o grupo australiano partilhou a primeira foto oficial da formação que vai subir ao palco em Algés (em cima, créditos da foto: Roger Sargent) e tem vindo a publicar vários apelos aos fãs e a prometer “um grande espetáculo de Rock”. O próprio Axl Rose surge no vídeo a dizer-se “muito entusiasmado” de estar em Portugal com os AC/DC e admite: “Pela primeira vez, na minha vida, percebo a importância dos ensaios.”


 

O que diz o DL 23/2014?


Na alínea “b” do ponto 1 do Artigo 9.° da Secção II do Capítulo II do Decreto-Lei n.° 23/2014, de 14 de fevereiro, surge a “substituição o programa ou de artistas principais” como uma das situações em que “o promotor do espetáculo constitui-se na obrigação de restituir aos espectadores a importância correspondente ao preço dos bilhetes”. Neste caso, não se trata da substituição do principal grupo em cartaz, mas do artista que há 36 anos é a voz do referido grupo. No ponto 4 do mesmo artigo, lê-se que “compete à IGAC a verificação dos pressupostos de que depende a restituição da importância correspondente ao preço dos bilhetes, mediante reclamação de qualquer interessado.”
Fonte: Procuradoria-geral Distrital de Lisboa


Contactada pela euronews escassos dias após o anúncio da troca de vocalistas nos AC/DC, a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC), a entidade oficial com jurisdição em Portugal para mediar conflitos desta natureza, revelou ter recebido “cerca de duas dezenas de pedidos de informação no sentido de conhecer se a alteração em causa é suscetível de motivar a restituição do preço do bilhete”.

O Inspetor-geral da IGAC informou-nos ter também ele solicitado “esclarecimentos ao promotor para conhecer qual a posição perante este assunto e, em função dos esclarecimentos prestados”, promete “proceder à avaliação jurídica de todos os elementos associados à presente situação, à luz do regime de realização de espetáculos de natureza artística, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 23/2014, de 14 de fevereiro”

A poucas mais de duas semanas do concerto dos AC/DC em Portugal, esgotado então desde fevereiro, conhecer o direito a ser reembolsado ou não revelava-se o problema de milhares de pessoas que haviam pagado mais de 60 euros por um bilhete para ver os australianos e ouvir em Algés a caraterística voz de Brian Johnson.


A confirmação oficial de que Axl Rose, o lendário vocalista dos Guns’N‘Roses, havia sido contratado para ocupar a vaga aberta por Brian Johnson como vocalista dos AC/DC na digressão europeia dos australianos caiu que nem uma bomba na internet. Ainda mais em Portugal, “palco” do primeiro espetáculo juntando a voz dos “Guns” ao projeto dos manos Angus e Steve Young.

As críticas à escolha dos AC/DC começaram de pronto e as revendas de bilhetes pela internet também. Muitos eram os que esperavam obter o reembolso do que haviam pagado pelo bilhete de um concerto que, de facto, não vão poder assistir. Alegam alteração significativa do espetáculo anunciado e cujo impressionante palco tem vindo a ser montado há vários dias.

Contatámos também a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, a popular DECO, em busca de esclarecimentos legais. Antes de nós muitos outros já o tinham feito. Consumidores, sobretudo.

A todos a DECO expressou o mesmo desconhecimento legal para tomar uma posição sobre o caso, na medida em que teria primeiro de analisar todos os contornos, nomeadamente o que vem explicado nos bilhetes adquiridos como motivo para eventual reembolso.

A 20 de abril, um dia antes da cedência da EiN, a DECO respondeu-nos: “A substituição de Brian Johnson por Axl Rose é uma mudança de circunstâncias que defrauda as expectativas dos fãs. A Everything is new deve reembolsar os consumidores interessados na devolução dos bilhetes”. Sintomático.

História de uma troca polémica


O concerto agendado pela promotora Everything is New para 7 de maio no Passeio Marítimo de Algés esgotou pouco depois de os bilhetes terem sido postos à venda. No início de março surgiu a notícia no site oficial da banda: “O vocalista dos AC/DC, Brian Johnson, foi aconselhado por médicos a parar com as digressõesde imediato sob risco de perder a totalidade da audição.”

De início, o grupo anunciou o reagendamento dos 10 restantes concertos da etapa norte-americana da digressão mundial “Rock or Bust”. As restantes datas mantiveram-se inalteradas. Os rumores de que o grupo iria contratar um substituto começaram de imediato e Axl Rose foi, aliás, um dos nomes referidos quase desde o início.

No domingo, 17 de abril, um dia após o guitarrista Angus Young ter partilhado o palco com os Guns’N‘Roses no Festival de Coachella, nos Estados Unidos, surgiu a confirmação no site oficial dos AC/DC.

“Estamos decididos em terminar os compromissos da nossa digressão para com toda as pessoas que nos têm apoiado ao longo dos anos e temos a sorte de Axl Rose se ter oferecido para nos ajudar a concretizar este compromisso. Os AC/DC vão retomar a digressão ‘Rock or Bust’ com Axl Rose como vocalista. As datas em estádios europeus arranca a 7 de maio, em Lisboa, Portugal, e prossegue até 12 de junho, em Aarhus, na Dinamarca”, lê-se no site.

Brian Johnson promete voltar e ignora Axl Rose


Brian Johnson juntou-se, por fim, às explicações e emitiu um comunicado detalhando a sua suspensão de atividade. “Não sou um desistente. Gosto de acabar o que começo, no entanto, os médicos foram claros comigo e com os companheiros de banda de que eu não tinha escolha a no ser parar de atuar durante o resto da digressão e talvez mesmo depois. Foi o dia mais negro da minha vida”, afirma Johnson, agradecendo o apoio dos colegas no AC/DC, Angus Young e Cliff Williams.

Por fim, o vocalista assegurou os fãs de que pretende voltar a cantar. “Não me estou a retirar. Os meus médicos disseram-me que posso continuar a gravar discos em estúdio e eu pretendo faze-lo”, garantiu, sem especificar se o fará ou não com os AC/DC, que já lhe agradeceram os anos que passou no grupo após suceder na função a Bon Scott, em 1980.

“De momento, quero focar-me nos tratamentos médicos para melhor a minha audição. Espero que com o tempo melhore e me permita regressar às atuações em concertos ao vivo. Enquanto o resultado é incerto, a minha atitude é otimista. Só o tempo o dirá”, finalizou Brian Johnson, sem qualquer menção direta à entrada de Axl Rose para o seu lugar na digressão europeia dos australianos.