Grécia: Milhares protestam contra medidas de austeridade do governo

Access to the comments Comentários
De  Miguel Roque Dias  com REUTERS
Grécia: Milhares protestam contra medidas de austeridade do governo

<p>Milhares de jovens estudantes, trabalhadores e reformados manifestaram-se, este domingo, pelo terceiro dia consecutivo, na Praça Sintagma, em Atenas.</p> <p>Protestam contra a legislação que o governo quer ver aprovada, esta tarde, no Parlamento e que prevê o aumento das contribuições para a segurança social, o aumento dos impostos sobre os rendimentos e, ainda, introduzir uma nova pensão nacional. </p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Thousands take to streets in Greece ahead of reform vote <a href="https://t.co/FCqF7quPry">https://t.co/FCqF7quPry</a> <a href="https://t.co/2hwGeHKWNe">pic.twitter.com/2hwGeHKWNe</a></p>— Kathimerini English (@ekathimerini) <a href="https://twitter.com/ekathimerini/status/729315465512656896">May 8, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>“Somos jovens e não aceitamos estas políticas. Não temos segurança social, sistema de saúde, salários decentes e muitos de nós não têm sequer emprego. Não podemos viver assim. Não podemos viver no século <span class="caps">XXI</span> com condições de trabalho do século <span class="caps">XIX</span>”, afirma uma jovem.</p> <p>Um adolescente de 17 anos afirma que não recebe dinheiro dos pais e que “se eles tiverem mais cortes nos salários e nas pensões, não sei como vamos sobreviver. A maioria dos meus amigos vem, também, de famílias pobres. Dificilmente, conseguimos suprir todas as nossas necessidades básicas. “</p> <p>O governo de Alexis Tsipras espera que as medidas ajudem para que os credores internacionais aprovem a libertação de parcelas dos empréstimos, no quadro do terceiro resgate financeiro concedido ao país em julho de 2015 e avaliado em 86 mil milhões de euros.</p> <p>O governo afirma que a reforma das pensões é necessária, mas os trabalhadores afirmam que, em poucos anos, as pensões serão equiparadas às gorjetas. Para as pessoas, o <span class="caps">SYRIZA</span> está a trilhar o caminho da austeridade e dos cortes, semelhante ao dos governos anteriores.</p>