This content is not available in your region

Itália: Luz verde para uniões civis entre homossexuais

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com AFP
Itália: Luz verde para uniões civis entre homossexuais

<p>Pela primeira vez, a Itália reconhece um estatuto aos casais do mesmo sexo. O parlamento votou favoravelmente a moção de confiança ao governo de Matteo Renzi que garantiu também a passagem da lei.</p> <iframe src="https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fmatteorenziufficiale%2Fposts%2F10153814890934915%3A0&width=500" width="500" height="670" style="border:none;overflow:hidden" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true"></iframe> <p>A Itália era um dos últimos países da Europa em que a lei ainda não consagrava um estatuto aos casais homossexuais. Apesar de tudo, <a href="http://www.huffingtonpost.it/2016/05/11/unioni-civili-legge_n_9903704.html">o que a nova lei consagra é a união civil e não o casamento</a>, ou seja, um reconhecimento das uniões de facto, tanto para casais hetero como homossexuais e uma cerimónia civil destinada aos casais do mesmo sexo, no entanto <a href="https://www.youtube.com/watch?v=Zr9vgAnmfR4">diferente do casamento</a>.</p> <p>A mudança chega depois de meses de debate e manifestações por parte dos lóbis, tanto contra como a favor do casamento “gay”.</p> <p>Num país profundamente católico, onde a Igreja continua a ter uma grande influência, a comunidade mais conservadora organizou um “dia da família”, em janeiro, com manifestações por todo o país. As manifestações sucederam-se, também, do lado dos defensores da mudança.</p> <p>Outra concessão de Renzi aos conservadores é, para já, o afastamento da coadoção dos filhos biológicos de um dos elementos por parte dos casais homossexuais. Embora possível, a coadoção não é automaticamente aceite e tem de ser analisada caso a caso.</p>