Última hora

Em leitura:

Uganda: figura da oposição acusada de traição

mundo

Uganda: figura da oposição acusada de traição

Publicidade

ALL VIEWS

Clique para descobrir

No Uganda, um dos principais opositores do presidente Yoweri Museveni foi acusado de traição.

Kizza Besigye declarou-se vencedor das eleições realizadas em fevereiro colocando em causa a vitória do líder veterano Yoweri Museveni.

De acordo com resultados oficiais, Museveni teria obtido 60% dos votos contra 35% atribuídos à oposição.

Desde 1986 que Museveni ocupa a presidência do Uganda.

Nos últimos dias as autoridades bloquearam o acesso às redes sociais e alertaram os jornalistas no sentido de não cobrirem os protestos organizados pela oposição caso contrário teriam as suas licenças revogadas.

“A interdição de cobertura teve um efeito dissuasor sobre todos nós, jornalistas de vários órgãos. Temos a sensação de que o estado nos está a vigiar” adiantou o jornalista Emmanuel Mutaizibwa.

Um porta-voz do governo justificou a detenção de Besigye na passada quarta-feira afirmando que ele teria declarado abertamente a intenção de derrubar o governo, o que não seria constitucional.

Veja aqui a cerimónia de posse alternativa do líder da oposição

Desde as eleições em fevereiro passado que o líder da oposição tem passado a maior parte do tempo sob detenção domiciliária.

No Uganda o crime de traição é punido com a pena de morte.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte