Última hora

Em leitura:

Abertura do ano parlamentar no Reino Unido: O que interessa saber

Publicidade

Desde o século XVI, a cerimónia anual é um evento que marca a atualidade política do país. O protocolo existe na sua forma actual desde 1852, quando o Palácio de Westminster, as duas casas do parlamento, foram reconstruídas após um incêndio. A peça central da cerimónia é o discurso da rainha que é entregue aos membros da Câmara dos Comuns e da Câmara dos Lordes.

No discurso, a monarca estabelece as prioridades legislativas do governo para o ano parlamentar.

A cerimónia reúne a monarquia, os deputados eleitos da Câmara dos Comuns, os membros da Câmara dos Lordes, a Câmara alta do Parlamento, bem como os membros superiores do sistema Judiciário e serviço diplomático.

Tradições Arcaicas

Certas tradições são observadas ainda hoje por serem puramente cerimoniais e não têm um propósito prático.

Por exemplo, no dia do evento, as adegas do Palácio de Westminster são revistadas ​​pelos guarda-costas da rainha, a mais antiga unidade militar britânica. Esta operação decorre desde 1605 após uma tentativa falhada liderada por católicos ingleses, incluindo Guy Fawkes, para assassinar protestantes fazendo explodir as Casas do Parlamento.

Da Monarquia ao Parlamento

A rainha é levada numa carruagem puxada por cavalos, acompanhado pelo consorte real – hoje marido da monarca, o duque de Edimburgo – do Palácio de Buckingham até à entrada de Westminster. A Coroa Imperial usada pela soberana viaja consigo no coche que abre o cortejo.

O ouro, prata e platina, a Coroa Imperial contém 5 rubis, 11 esmeraldas, 17 safiras, 273 pérolas e 2.868 diamantes.

Uma vez chegada a Westminster, a rainha veste-se o manto na Câmara Robing e coloca na cabeça a coroa imperial. Em seguida, prossegue para a Câmara dos Lordes, onde o discurso terá lugar.

Na Câmara dos Comuns

Quando a monarca está pronta, o ‘Black Rod’vai para a câmara baixa, a Câmara dos Comuns e convoca os deputados para a Câmara dos Lordes. Quando se aproximam dos Comuns, a porta fecha-se. Isto simboliza a independência dos Comuns em relação à Coroa. O Black Rod, em seguida, bate três vezes na porta e é convidado a gritar: “Senhoras e senhores parlamentares a Rainha comanda esta Casa e tem a honra de participar, abram imediatamente!” Os membros do Parlamento caminham, em seguida, aos pares para Câmara dos Lordes.

O Discurso

O discurso proferido pela monarca é na verdade totalmente preparado pelo gabinete do primeiro-ministro. É tradicionalmente escrito em um pergaminho de pele de cabra, embora em 2013 este tenha sido mudado. O pergaminho é entregue de joelho dobrado pelo Lord Chancellor, que então deve andar para trás abaixo as escadas do trono, de modo a não virar as costas à rainha, o que seria um sinal de desrespeito.

A rainha tem sentido de Estado

A rainha Elizabeth II esteve ausente desta cerimónia em duas ocasiões devido à gravidez. Foi em 1959 e 1963, quando ela estava grávida do príncipe Andrew e depois do príncipe Edward, respectivamente. O Lord Chancellor leu então o discurso nessas ocasiões.

A rainha Victoria perdeu a cerimónia em muitas ocasiões durante o seu lomgo luto luto após a morte de seu marido, o príncipe Albert. Nos últimos 34 anos de um reinado de 63 anos, ela só participou do evento sete vezes.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte