Última hora

Em leitura:

Ativistas querem suspensão do glifosato por peritos europeus

A redação de Bruxelas

Ativistas querem suspensão do glifosato por peritos europeus

Publicidade

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Ativistas das organizações não governamentais Avaaz e Greenpeace pediram a suspensão do uso do glifosato no primeiro de dois dias de reunião, em Bruxelas, de peritos em agricultura e alimentação dos 28 países da União Europeia.

Trata-se do Comité Permanente sobre Plantas, Animais, Alimentos e Rações e em causa está o risco para a saúde desta substância usada em pesticidas para a agricultura e jardins.

O ativista da Avaaz, Bert Wander, diz que “deve ficar claro para a Europa que não podemos brincar com a nossa saúde”.

“Somos cidadãos, não somo ratos de laboratório e não vamos parar a nossa campanha. Sabemos que outros importantes estudos estão a ser feitos. Também sabemos que alguns grandes países estão muito desconfortáveis com o uso de glifosato. Não queremos que a Comissão Europeia envie um sinal de que é seguro, quando a ciência, simplesmente, não é clara sobre isso”, acrescentou.

Alguns estudos científicos, como o da Agência Internacional para a Investigação do Cancro (que pertence à Organização Mundial de Saúde – OMS), apontam para risco de cancro, mas outros dizem o contrário.

De facto, na passada segunda-feira, um comunicado da OMS e da FAO (outra agência das Nações Unidas, para políticas sobre agricultura e alimentação) diz que “é pouco provável que o glifosato tenha um risco carcinogénico para os seres humanos através da alimentação”.

A Comissão Europeia quer prolongar a atual licença, que expira a 30 de junho, por mais nove anos. O comité de peritos deve decidir por maioria qualificada, na quinta-feira, se aprova a proposta da Comissão.

França e Alemanha estão entre os países mais céticos sobre o prolongamento do uso da substância. Mas um porta-voz da Comissão Europeia disse, na terça-feira, que caberá depois aos Estados-Membros decidirem que produtos (que incluam a substância) vão poder ser comercializados.

ALL VIEWS

Clique para descobrir

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte